Quinta-feira, 09 de dezembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Mundo O presidente dos Estados Unidos pede a renúncia do governador de Nova York após investigação de assédio sexual

Compartilhe esta notícia:

Andrew Cuomo renunciou ao cargo após ser denunciado por assédio sexual. (Foto: Reprodução/Twitter)

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta terça-feira (3) que o governador de Nova York, Andrew Cuomo, deveria renunciar diante de um relatório da procuradora-geral estadual que concluiu que o político democrata assediou sexualmente 11 mulheres. “Eu acho que ele deveria renunciar”, disse Biden a jornalistas na Casa Branca.

A procuradora-geral de Nova York, Letitia James, revelou os resultados de uma investigação mais cedo na terça-feira, mostrando que Cuomo havia tocado, beijado e abraçado várias mulheres de maneira não consensual, além de ter feito comentários inapropriados.

Biden havia dito anteriormente que se a investigação determinasse que Cuomo agiu de maneira inapropriada, ele pediria sua renúncia. Nesta terça-feira, Biden disse que o governador democrata deveria deixar o cargo.

Segundo a investigação, Cuomo criou um espaço de trabalho “tóxico”, violando a lei.

Em uma declaração gravada após a procuradora-geral revelar as descobertas do inquérito independente que durou 5 meses, Cuomo negou ter agido de maneira inapropriada e deixou claro que não tem planos de renunciar.

“Nunca toquei em ninguém de maneira inadequada”, disse Cuomo, um democrata que é governador desde 2011. “Isso simplesmente não é quem eu sou e nunca fui.”

A procuradora-geral Letitia James afirmou que o gabinete do democrata se tornou um “ambiente de trabalho tóxico” que permitiu que o assédio ocorresse.

“Os fatos são muito diferentes do que foi retratado”, defendeu-se Cuomo.

As conclusões, detalhadas em um relatório contundente de 168 páginas, podem ser um golpe devastador no futuro político de Cuomo e prejudicar seu governo, mas o inquérito é de natureza civil e não levará diretamente a nenhuma acusação criminal contra ele.

“Estas 11 mulheres estavam em um ambiente de trabalho hostil e tóxico. Deveríamos acreditar nas mulheres”, disse a procuradora, que também é democrata. “O que esta investigação revelou foi um padrão de conduta perturbador do governador do grande Estado de Nova York”, acrescentou.

Carl Heastie, presidente da Assembleia de Nova York de maioria democrata que autorizou uma investigação de impeachment sobre a conduta de Cuomo, classificou as conclusões do relatório como “perturbadoras” em um comunicado e disse que elas apontam “alguém que não está apto para o cargo”. As informações são da agência de notícias Reuters.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Na despedida de Tóquio, australianos danificam camas e fazem buraco na parede da Vila Olímpica
Fronteira do Brasil com o Paraguai vive série de execuções. Polícias dos dois países caçam grupos de extermínio
Deixe seu comentário
Pode te interessar