Quinta-feira, 02 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
11°
Mostly Cloudy

Brasil O setor de serviços registrou queda de 2,8% em 2017

Compartilhe esta notícia:

Dados foram divulgados pelo IBGE. (Foto: Reprodução)

O setor de serviços acumulou queda de 2,8% em 2017, apesar de ter crescido 1,3% em dezembro ante novembro. A receita nominal (desconsiderada a inflação) cresceu 2,5% no ano. Os números já consideram ajustes sazonais, segundo informou nesta sexta-feira (16) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Na comparação anual, o volume do setor cresceu 0,5% em dezembro, interrompendo uma série de 32 resultados negativos. Essa série não considera ajustes sazonais. Entre os grandes segmentos, no ano cresceram apenas os serviços de transportes auxiliares dos transportes e correio (2,3%).

Atividades

Por atividades, na série com ajuste, houve altas nos segmentos de Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (2,3%); Serviços profissionais, administrativos e complementares (0,6%) e Outros serviços (0,7%), sendo que os dois primeiros segmentos avançaram pelo segundo mês consecutivo, com variações de 0,9% e 0,8%, respectivamente, em novembro.

Já os segmentos de Serviços prestados às famílias (-0,9%) e Serviços de informação e comunicação (-0,3%), recuaram frente a novembro, após avanço de 0,9% (ambos os segmentos) na passagem de outubro para novembro. O agregado especial das Atividades turísticas cresceu 2,8%, após alta de 1,2% em novembro.

Já a receita nominal variou 0,9% em relação a novembro (série com ajuste) e subiu 5,0% em relação a dezembro de 2016 (série sem ajuste sazonal). No acumulado no ano e em 12 meses, a receita cresceu 2,5%. A publicação completa, a série histórica, as revisões e a apresentação estão à direita desta página.

Em relação a dezembro de 2016, o setor de serviços cresceu 0,5%, com as contribuições positivas dos Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (4,8% e contribuição de 1,4 p.p.), seguido dos Serviços de informação e comunicação (2,3% e 0,7 p.p.). Já as influências negativas vieram de Serviços profissionais, administrativos e complementares  (-3,9%); Outros serviços (-5,6%) e Serviços prestados às famílias (-3,7%), com -0,9 p.p., -0,4 p.p. e -0,3 p.p, respectivamente.

Roraima, Maranhão e Espírito Santo lideram alta no volume

Nos resultados regionais com ajuste sazonal, as maiores altas, em relação a novembro, foram em Roraima (15,1%), Maranhão (5,4%) e Espírito Santo (4,6%). As quedas mais intensas foram em Tocantins (-12,7%), Ceará (-3,4%) e Mato Grosso (-2,6%).

Na comparação com dezembro de 2016, sem ajuste sazonal, Mato Grosso (48,8%), Roraima (10,1%) e Amazonas (8,0%) foram as maiores altas, enquanto as quedas mais intensas foram em Tocantins (-18,4%), Ceará (-16,6%) e Amapá (-11,0%).

Distrito Federal e São Paulo têm queda no turismo

Na série regional com ajuste, o volume de venda das Atividades turísticas cresceu em Santa Catarina (10,2%), Rio Grande do Sul (6,2%), Bahia (5,8%), Minas Gerais (5,7%), Espírito Santo (5,4%), Pernambuco (3,0%), Goiás (1,6%) e Paraná, Rio de Janeiro e Ceará (todas com 1,4%). Houve quedas no Distrito Federal (-1,0%) e em São Paulo (-3,8%).

Em relação a dezembro de 2016, na série sem ajuste sazonal, houve altas em Santa Catarina (19,0%), Pernambuco (16,5%), Ceará (12,0%), Espírito Santo (11,2%), Goiás (10,6%), Minas Gerais (10,2%), Bahia (7,4%) e Paraná (6,8%), enquanto Rio Grande do Sul (-2,9%), São Paulo (-15,4%), Rio de Janeiro (-15,5%) e Distrito Federal (16,2%) recuaram.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Atirador que matou 17 pessoas em escola da Flórida está “triste e arrependido”, afirmou advogada
Acontece nesta sexta-feira (16) o 4º Fórum Os Caminhos do Rio Grande, iniciativa da Rede Pampa, inserida no Projeto RS Sustentável
Deixe seu comentário
Pode te interessar