Sexta-feira, 25 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Fair

Mundo A Estação Comandante Ferraz, base brasileira de pesquisas na Antártica, será reinaugurada nesta terça

Compartilhe esta notícia:

A Estação Comandante Ferraz foi criada em 1984

Foto: Mauricio de Almeida/TV Brasil
A Estação Comandante Ferraz foi criada em 1984. (Foto: Reprodução)

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, embarca nesta segunda-feira (13) para a Antártica, onde será o principal representante do governo brasileiro na reinauguração da Estação Comandante Ferraz, base de pesquisas do País no continente.

O novo prédio fica na ilha Rei George, na Baía do Almirantado. A inauguração oficial ocorre nesta terça-feira (14).

A Estação Comandante Ferraz foi criada em 1984, mas em 2012 sofreu um incêndio de grande proporções. Na ocasião, dois militares morreram e 70% das suas instalações foram perdidas.

O governo federal investiu cerca de US$ 100 milhões na obra, e a unidade recebeu os equipamentos mais avançados do mundo. No local, pesquisadores vão realizar estudos nas áreas de biologia, oceanografia, glaciologia, meteorologia e antropologia.

“A estação vai dar melhores condições de trabalho aos nossos pesquisadores, vai manter nossa presença no trabalho que está sendo feito pela comunidade científica internacional de buscar respostas e avanços no conhecimento, na tecnologia, outras áreas que são pesquisadas lá. Ao mesmo tempo, permite que a Marinha faça um adestramento em termos de logística, em termos de deslocamento em águas, que não são tão tranquilas assim. Nós, do governo Bolsonaro, vemos com extrema satisfação esse momento de reinaugurarmos a Estação Comandante Ferraz e darmos uma nova roupagem ao trabalho de pesquisa que está sendo realizado lá”, afirmou Mourão.

Inicialmente, a previsão era de que o presidente Jair Bolsonaro participasse da reinauguração da Estação Comandante Ferraz, mas, por recomendações médicas, o chefe do Executivo desistiu da viagem e delegou a ida ao vice-presidente.

Ocupando uma área de 4,5 mil metros quadrados, a estação poderá hospedar 64 pessoas, segundo a Marinha. O novo centro de pesquisas conta com 17 laboratórios.

Para ficar acima da densa camada de neve que se forma no inverno, o prédio recebeu uma estrutura elevada. Os pilares de sustentação pesam até 70 toneladas e deixam o centro de pesquisas a mais de três metros do solo. Os quartos da base, com duas camas e banheiros, abrigarão pesquisadores e militares. A estação também tem uma sala de vídeo, locais para reuniões, academia de ginástica, cozinha e um ambulatório para emergências.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Os Estados Unidos pretendem acelerar a deportação de brasileiros
Tribunais de Justiça reforçam pressão para adiar a implantação do juiz das garantias
Deixe seu comentário
Pode te interessar