Quarta-feira, 08 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Cloudy

Mundo Os Estados Unidos têm 25 cidades sob toque de recolher e 1,6 mil detidos em protestos antirracistas

Compartilhe esta notícia:

Levantamento de agência americana aponta que ao menos 1.699 pessoas foram presas no país desde quinta-feira

Foto: Reprodução
Levantamento de agência americana aponta que ao menos 1.699 pessoas foram presas no país desde quinta-feira. (Foto: Reprodução)

Mais uma pessoa morreu e ao menos três foram baleadas na quinta noite de protestos nos Estados Unidos pela morte de George Floyd, homem negro que foi asfixiado por um policial branco e depois morreu, em Minneapolis, na última segunda-feira (25).

Ao menos 25 cidades americanas em 16 estados determinaram toques de recolher por causa dos protestos. O policial que asfixiou Floyd, Derek Chauvin, foi preso e acusado formalmente de homicídio, mas os manifestantes pedem que os outros policiais envolvidos no caso também sejam acusados, diz a rede americana.

Segundo um levantamento feito pela agência de notícias Assocated Press, pelo menos 1.699 pessoas foram presas em 22 cidades desde quinta-feira (28). Quase um terço das prisões ocorreu em Los Angeles, na Califórnia, onde o governo declarou estado de emergência e ordenou à Guarda Nacional que desse apoio aos 10 mil policiais da cidade.

Mortes e prisões

Na madrugada deste domingo (31), uma pessoa morreu e outras três foram baleadas durante os protestos em Indianápolis, no estado de Indiana, afirmou a polícia local. No sábado (30), um jovem de 19 anos e um agente federal morreram e centenas de pessoas foram presas durante os protestos.

Em Seattle, no estado de Washington, ao menos 27 pessoas foram presas em manifestações na noite de sábado, informou a polícia. As infrações iam de agressões a incêndios, destruição e saques.

“A prioridade é proteger a vida e acabar com a destruição. Neste momento, sabemos que vários oficiais e civis foram feridos”, disse a chefe da polícia, Carmen Best. A Guarda Nacional também está atuando na cidade.

Em Jacksonville, na Flórida, um policial foi para o hospital depois de ser golpeado no pescoço, informou a polícia. O prefeito da cidade, Lenny Curry, declarou que o protesto na cidade, com 1,2 mil pessoas, tinha começado de forma pacífica, e, depois, ficou violento.

O caso

George Floyd morreu no dia 25 de maio, depois de ser asfixiado por 8 minutos e 46 segundos pelo policial branco Derek Chauvin em Minneapolis, no estado de Minnesota. Na sexta-feira (29), Chauvin foi detido e acusado de homicídio. Documentos obtidos pela rede americana CNN mostram que a fiança do policial foi estabelecida em US$ 500 mil (cerca de R$ 2,7 milhões).

Segundo a acusação contra Chauvin, ele manteve seu joelho sobre o pescoço de Floyd durante os 8 minutos e 46 segundos, sendo que nos últimos 2 minutos e 53 segundos o homem, negro, já estava inconsciente. A autópsia informou, entretanto, que não houve “nenhum achado físico que apoie o diagnóstico de asfixia traumática ou estrangulamento”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Na contramão da crise, e-commerce ganha força no período da quarentena
A pandemia do coronavírus avança na América Latina enquanto o mundo tenta retomar a vida normal
Deixe seu comentário
Pode te interessar