Quinta-feira, 02 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
11°
Mostly Cloudy

Mundo Os italianos tiveram permissão de viajar a outras regiões do país pela primeira vez em quase três meses

Compartilhe esta notícia:

A Organização Mundial da Saúde mudou sua orientação dizendo que máscaras podem ajudar a impedir a propagação do vírus. (Foto: Flavio Lo Scalzo/Reuters)

Os italianos tiveram permissão de viajar a outras regiões do país pela primeira vez em quase três meses nesta quarta-feira (3), em um novo relaxamento das restrições do isolamento imposto para conter a disseminação do novo coronavírus.

Os viajantes que embarcavam em trens em Milão, capital da Lombardia, no norte da Itália, estavam animados com a perspectiva de finalmente poderem visitar familiares e amigos de outras partes da Itália.

“Mas agora, com a possibilidade do trabalho inteligente, posso voltar para casa e me encontrar com meus pais e abraçá-los novamente depois de três meses sem vê-los”, disse. “Estou feliz, e mal posso esperar para vê-los.”

A Lombardia continua sendo uma das regiões mais afetadas do mundo pela pandemia, e responde por cerca de metade das 33.601 mortes de Covid-19, a doença respiratória causada pelo novo coronavírus, na Itália.

As máscaras hoje obrigatórias e os grupos de agentes de segurança que verificam temperaturas são lembretes constantes de que a epidemia ainda não foi domada.

As regras de distanciamento social continuam em vigor, e as lojas limitam entradas de forma rotineira. Grupos de pessoas que se reúnem diante de bares ou em parques causam demonstrações ocasionais de revolta pública.

Os governadores de algumas regiões do sul italiano, muito menos afetado pela pandemia, temem que o afrouxamento das restrições de viagem leve viajantes das cidades do norte, como Milão, a propagarem o vírus acidentalmente.

E como a economia deve encolher cerca de 9% neste ano e milhares de empresas enfrentam um futuro incerto, poucos italianos têm a ilusão de que a vida voltará ao normal em breve.

“O isolamento trouxe uma realidade econômica muito dura, e nos próximos meses veremos realmente seu impacto”, disse Alessandro Peruzzo, que se preparava para visitar a família em Treviso, cidade do nordeste do país.

França lança aplicativo

O governo francês lançou na terça-feira (2) seu aplicativo próprio de rastreamento via GPS para informar o risco de infecção de quem sai às ruas. O app se chama StopCovid e está disponível para download tanto na Play Store (Google) quanto na App Store (Apple).

O StopCovid informará usuários sobre uma possível proximidade com alguém que possui o coronavírus. O sistema, que preservará o anonimato de pessoas infectadas, criará um perfil com pseudônimo e coletará informações de outras IDs via bluetooth.

Funcionará assim: uma pessoa infectada receberá de seu médico um QR Code ou um código alfanumérico que deve ser inserido pelo usuário do aplicativo. Em posse desse dado, o StopCovid cruzará as informações com as de usuários que interagiram com o infectado nos últimos 14 dias, sem informar a identidade do potencial transmissor.

O app, então, calcula uma espécie de pontuação que mede o risco de infecção. Ultrapassando um limite pré-estabelecido, o usuário será notificado no smartphone. O aplicativo sugere a realização do teste para a Covid-19 e fornece as instruções de isolamento voluntário e instruções do governo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

A China demorou para divulgar o genoma do coronavírus para a Organização Mundial da Saúde
“Papai mudou o mundo”, diz filha de George Floyd. Quatro policiais de Mineápolis foram acusados pela morte do pai da menina
Deixe seu comentário
Pode te interessar