Terça-feira, 28 de Janeiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
27°
Mostly Cloudy

CAD1 Os jogadores do Flamengo lamentam não jogar a final da Libertadores no Maracanã

O Estádio Nacional do Chile será o palco da grande final da Libertadores 2019. (Foto: Reprodução)

Marcada para o dia 23 de novembro no Estádio Nacional, no Chile, a final da Libertadores entre Flamengo e River Plate não terá a festa que as torcidas locais fizeram nas semifinais. Os jogadores lamentam não poder contar com a atmosfera que vivenciaram na quarta-feira na decisão do torneio continental.

“Queria que fosse no Maracanã, mas já estava decidido que ia ser lá e vai ser uma grande festa”, disse Everton Ribeiro.

Num jogo único, bem longe do Rio – quase 4 mil quilômetros -, os rubro-negros agora terão a missão de ocupar  Santiago. Será difícil ser maioria na capital chilena. Pela proximidade com a Argentina, os torcedores do River Plate levam vantagem. E nem de longe o público será parecido com o do Maracanã. A capacidade total do estádio é de pouco mais de 48 mil torcedores.

Gabigol, artilheiro da Libertadores, espera uma invasão rubro-negra em Santiago daqui a um mês. Ele não acha que a recente convulsão social no país será um problema para realização da partida.

“A gente acompanha os acontecimentos, são coisas que vão se resolver. Mas fora do campo não cabe a gente falar”, afirmou o atacante.

O vice de futebol Marcos Braz também acredita que não há riscos de se jogar no Chile.

“É um grande país e o clube se sente seguro para jogar lá”, ressaltou o dirigente.

Reafirmação

A tensão política e os diversos protestos no Chile mostraram que a Conmebol podia recorrer a um plano B para a primeira final em jogo único da Copa Libertadores, que será realizada em menos de um mês. No entanto, o presidente da federação, Alejandro Domínguez, confirmou nesta quinta-feira (24) que a partida será mesmo realizada em Santiago.

Domínguez participou de um programa da Grande Radio AM 1080, do Paraguai, para esclarecer as dúvidas que surgiram na última semana.

“Santiago será a sede para a final da Libertadores, isso está definido”, disse. “O Chile vai se recuperar do que está vivendo”.

O país, além de despontar em desigualdade nas últimas décadas, passa por momento delicado com o criticado presidente Sebastián Piñera e, após aumento de tarifas do transporte público, estudantes lideraram manifestações em várias cidades.

Além de sede da Conmebol, o Paraguai era a principal opção a parte do Chile por já estar preparada para receber a final da Sul-Americana e por Brasil e Argentina terem times na decisão – que será entre Flamengo e River Plate, no dia 23 de novembro.

A conta oficial da Conmebol também confirmou a decisão pelo seu twitter com a seguinte mensagem: “Reafirmamos nosso compromisso de celebrar a final única da Libertadores 2019 no Estádio Nacional de Santiago, no Chile, no próximo dia 23 de novembro”.

Voltar Todas de CAD1

Compartilhe esta notícia:

Ronaldinho Gaúcho paga uma multa milionária e volta aos Estados Unidos
O Flamengo tem agora o desafio de encerrar a série de fracassos de times brasileiros contra o River Plate
Deixe seu comentário
Pode te interessar