Terça-feira, 11 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Cloudy

Brasil Para a advocacia-geral da União, afastamento mostra que Eduardo Cunha usou o impeachment em benefício próprio

Compartilhe esta notícia:

O advogado-geral da União, ministro José Eduardo Cardozo (Foto: Divulgação)

O advogado-geral da União, ministro José Eduardo Cardozo, afirmou nesta quinta-feira (05) que a decisão do ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal), é uma prova de que Eduardo Cunha usava o cargo com finalidades estranhas ao interesse público e de que, no caso do impeachment da presidenta Dilma Rousseff, usou o processo em benefício próprio.

“É uma prova importante no sentido que usava o cargo para finalidades estranhas ao interesse público, como aconteceu no caso do impeachment. No caso do impeachment é exatamente isso que estamos alegando, que ele usou com desvio de poder, usou o impeachment justamente em benefício próprio, quando ameaçou a presidenta da República, de que abriria processo de impeachment se o PT não desse os votos. O que o Supremo decide hoje é exatamente a demonstração do seu modus operandi”, afirmou Cardozo.

O ministro deu uma rápida entrevista na chegada para a sessão da comissão do Senado que discute o impeachment de Dilma. Questionado se diante da decisão sobre o impeachment faria algum tipo de recurso, Cardozo respondeu: “Nós já estamos pedindo e vamos pedir. A decisão do Supremo mostra clarissimamente que Eduardo Cunha agia em desvio de poder, agia para obstaculizar sua própria investigação. Foi o que aconteceu no impeachment”. (AG) 

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Petistas comemoram afastamento de Eduardo Cunha da Câmara dos Deputados
Moça dá uma surra no ladrão que tentou roubar sua bolsa dentro do ônibus
Deixe seu comentário
Pode te interessar