Segunda-feira, 01 de Junho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
Fair

Brasil Petrobras vai hibernar fábrica de fertilizantes no Paraná e demitirá 396 empregados

Compartilhe esta notícia:

Decisão de parar produção vem após tentativas de venda do ativo por mais de dois anos

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
A empresa tenta conter a greve com pagamentos "aos que estão atuando para a continuidade das atividades da companhia". (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A Petrobras anunciou nesta terça-feira (14) a “hibernação” da fábrica de fertilizantes de sua subsidiária ANSA (Araucária Nitrogenados) no Paraná. A decisão resultará na demissão de 396 empregados da unidade.

A decisão sobre a hibernação da unidade, que consiste na interrupção da produção no local, vem após o encerramento das tentativas de venda do ativo por mais de dois anos, disse a estatal em comunicado.

“A ANSA vem apresentando recorrentes prejuízos desde que foi adquirida em 2013. De janeiro a setembro de 2019, a empresa gerou um prejuízo de cerca de R$ 250 milhões e a projeção para 2020 é de prejuízo superior a R$ 400 milhões. No contexto atual de mercado, a matéria-prima utilizada na fábrica [resíduo asfáltico] está mais cara do que seus produtos finais [amônia e ureia]”, informou a Petrobras, em comunicado.

Segundo a Petrobras, a decisão está de acordo com o posicionamento estratégico de sair integralmente do negócio de fertilizantes. “A fábrica permanecerá hibernada em condições que garantam total segurança operacional e ambiental, além da integridade dos equipamentos”, acrescentou.

No início de 2018, a Petrobras decidiu hibernar também duas deficitárias fábricas de fertilizantes no Sergipe (Fafen-SE) e na Bahia (Fafen-BA). “A fábrica permanecerá hibernada em condições que garantam total segurança operacional e ambiental, além da integridade dos equipamentos”, acrescentou. No início de 2018, a Petrobras decidiu hibernar também duas deficitárias fábricas de fertilizantes no Sergipe (Fafen-SE) e na Bahia (Fafen-BA).

Desligamento de empregados

A Petrobras informou que desligará os 396 empregados da unidade, considerando que a fábrica a ser hibernada é o único ativo da ANSA.

“Eles receberão, além das verbas rescisórias legais, um pacote adicional composto de valor monetário entre R$ 50 mil e R$ 200 mil, proporcional à remuneração e ao tempo trabalhado; manutenção de plano médico e odontológico, benefício farmácia e auxílio educacional por até 24 meses, além de uma assessoria especializada de recolocação profissional”, informou a empresa.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Novo reajuste do salário mínimo trará impacto de R$ 2,13 bilhões no Orçamento
Bolsonaro chama de fake news livro que fala em demissão do ministro Sérgio Moro cogitada em 2019
Deixe seu comentário
Pode te interessar