Terça-feira, 16 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Política “Precisamos conversar”, diz Bolsonaro ao ministro do Supremo Alexandre de Moraes durante jantar

Compartilhe esta notícia:

Bolsonaro e Moraes tiveram conversa reservada no jantar oferecido por Arthur Lira. (Foto: Reprodução)

Na saída de um jantar em homenagem ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, o presidente Jair Bolsonaro disse ao ministro Alexandre de Moraes, que virou alvo frequente de ataques do presidente da República, que os dois precisam conversar.

“Precisamos conversar”, disse Bolsonaro a Moraes EM uma conversa reservada que eles tiveram na saída do evento.

Segundo presentes ao jantar, na residência oficial da Câmara dos Deputados, Bolsonaro e Moraes se encontraram em dois momentos. Na chegada, quando o presidente cumprimentou o ministro do STF, e na saída, quando eles tiveram uma conversa apenas entre os dois num canto reservado na saída da casa.

A conversa entre os dois teria durado apenas dois minutos. Bolsonaro procurou distensionar o ambiente dizendo que a divergência entre os dois é que ele, em São Paulo, é palmeirense, e Alexandre de Moraes é corintiano. Na despedida, Bolsonaro disse que os dois precisam conversar.

O presidente já fez movimentos para se aproximar de Moraes no ano passado, após fazer duros ataques ao ministro durante manifestação em São Paulo e dizer que não iria mais cumprir decisões dele.

Diante da repercussão negativa, por intermediação do ex-presidente Michel Temer, os dois conversaram e Bolsonaro divulgou uma nota recuando nos seus ataques.

Só que, neste ano, o presidente voltou aos ataques contra Moraes e outros ministros do STF, como Edson Fachin e Luís Roberto Barroso, depois de decisões que contrariaram o Palácio do Planalto.

Segundo interlocutores de Alexandre de Moraes, não é a primeira vez que Bolsonaro disse a ele que “precisam conversar”. Porém, o diálogo, dizem, nunca aconteceu.

Jantar

O jantar em homenagem a Gilmar Mendes, pelos 20 anos no Supremo foi organizado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira.

Durante o evento, Bolsonaro não quis fazer pronunciamento. Na sua fala, Mendes defendeu a necessidade de “diálogo” e que o Brasil precisa valorizar a “política” para fortalecer a sua democracia.

“Tudo o que queremos é que a política seja realizada por políticos”, disse o homenageado. Dirigindo-se a Bolsonaro, ele declarou: “O senhor faz reparos e críticas, e nós procuramos sempre ouvi-lo. Queremos ouvi-lo, mas é preciso diálogo”.

O ministro do Supremo e pastor, André Mendonça, fez uma oração durante o jantar. Também prestigiaram o evento o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e os ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, e da Justiça, Anderson Torres.

Compareceram ainda os ministros do STF Kassio Nunes Marques, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli. O procurador-geral da República, Augusto Aras, foi convidado, mas não esteve presente.

Entre os deputados, estavam Odair Cunha (PT-MG), o líder do PT na Câmara, Reginaldo Lopes (PT-MG), Orlando Silva (PCdoB-SP) e Aécio Neves (PSDB).

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Ministério Público Federal diz que esquema de corrupção na Educação tinha “respaldo” de Milton Ribeiro
Senador diz ter reunido assinaturas para CPI sobre corrupção no Ministério da Educação
Deixe seu comentário
Pode te interessar