Domingo, 14 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Fog

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Economia Preço médio dos veículos usados no Brasil tem primeira queda após 21 meses seguidos de alta

Compartilhe esta notícia:

O resultado interrompeu uma sequência de alta iniciada em julho de 2020

Foto: Reprodução
O resultado interrompeu uma sequência de alta iniciada em julho de 2020. (Foto: Reprodução)

O preço médio dos veículos usados no Brasil registrou, em abril, a primeira queda após 21 meses consecutivos de alta. Já os carros novos tiveram a 20ª alta seguida, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Os valores médios dos automóveis usados caíram 0,47% na passagem de março para abril. O resultado interrompeu uma sequência de alta iniciada em julho de 2020.

Já os preços médios dos automóveis novos subiram 0,44% na mesma comparação, mantendo a trajetória de alta iniciada em setembro de 2020. Neste ano, os carros novos ficaram 4,86% mais caros, enquanto os preços dos usados subiram 3,36%. Em 12 meses, a alta também foi maior entre os novos: 17,58% ante 15,48% entre os usados.

De acordo com o IBGE, esse movimento nos preços é reflexo da crise enfrentada pelo setor automobilístico diante da pandemia de coronavírus. “Com a pandemia, ocorreu um desarranjo das cadeias globais de produção e, por conta disso, houve falta de peças para a produção de automóveis. Aos poucos, a indústria busca se ajustar ao novo cenário de mercado”, disse o pesquisador André Almeida.

A indústria automotiva sofre há meses com a falta de peças e componentes eletrônicos, que tem obrigado empresas como a Volkswagen a conceder férias coletivas em fábricas para ajustes na produção.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Mega-Sena pode pagar R$ 35 milhões no sorteio deste sábado
“Papai do Céu nos ajudou”, afirma Bolsonaro sobre ICMS no diesel
Deixe seu comentário
Pode te interessar