Terça-feira, 19 de Janeiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Fair

Política Presidente do Tribunal Superior Eleitoral faz apelo contra a violência política de gênero no segundo turno

Compartilhe esta notícia:

"Precisamos de mais mulheres na política", destacou Barroso

Foto: Divulgação
"Precisamos de mais mulheres na política", destacou Barroso. (Foto: Divulgação)

“A violência física ou moral contra as mulheres pelo simples fato de serem mulheres é inaceitável. Esse tipo de atitude, esse tipo de comportamento, é pior do que machismo. É, na verdade, covardia”, declarou o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso, em mensagem divulgada nas redes sociais nesta terça-feira (24), na qual ele fez um balanço do primeiro turno das eleições municipais.

Barroso rechaçou a alta taxa de violência por motivação política, especialmente contra mulheres. Neste ano, houve um aumento no número de vereadoras eleitas, no primeiro turno, e há mais de 50 mulheres candidatas a prefeitas e vice-prefeitas, no segundo turno.

“Precisamos de mais mulheres na política e, portanto, precisamos derrotar essa cultura do atraso, da discriminação, do preconceito e das agressões às mulheres. Mais mulheres na política, elas podem. O Brasil precisa”, concluiu Barroso, citando o slogan da campanha do TSE por mais mulheres nos espaços de poder, protagonizada pela atriz Camila Pitanga.

O ministro destacou ainda que, apesar de os crimes eleitorais, como boca de urna, compra de votos e transporte ilegal de eleitores, terem diminuído neste ano, os crimes contra a vida – como homicídios e tentativas de homicídio – e contra a liberdade pessoal (ameaças) a candidatos aumentaram. Para ele, a violência é incompatível com a democracia. “É preciso jogar limpo e civilizadamente. E os órgãos de segurança pública estão vigilantes em relação à atuação do crime organizado”, apontou.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Carrefour anuncia fundo de R$ 25 milhões para combate ao racismo
Novos policiais rodoviários federais iniciam atividades operacionais no Rio Grande do Sul
Deixe seu comentário
Pode te interessar