Terça-feira, 18 de Maio de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Cloudy

Rio Grande do Sul O Rio Grande do Sul deve ultrapassar neste sábado a marca de 23 mil mortes por coronavírus

Compartilhe esta notícia:

O total de casos confirmados desde o início da pandemia é 915.558, com 22.977 mortes.

Foto: EBC
País contabiliza 428.256 óbitos e 15.361.686 casos. (Foto: EBC)

Nesta sexta-feira (16), o Rio Grande do Sul registrou mais 5.337 testes positivos e 179 mortes por coronavírus, elevando assim para 915.558 o contingente de infectados, dos quais 22.977 não resistiram. A média de óbitos a cada 24 horas é de 171 nos últimos sete dias, permitindo projetar que neste sábado o Estado cruze a linha de 23 mil casos fatais de Covid.

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (SES), 877.989 gaúchos já estão recuperados. Outros 14.518 são considerados situações sob acompanhamento, seja sob quarentena domiciliar ou internação em hospitais das mais variadas regiões.

A taxa geral de ocupação das unidades de terapia intensiva (UTIs) era de 88,3% no início da noite desta sexta-feira, com uma proporção de 2.990 pacientes para 3.383 leitos com esse perfil. Em algumas regiões, o índice ainda é próximo ou mesmo superior a 100%, como em Uruguaiana e Santa Cruz do Sul.

Sobre a vacinação contra o coronavírus, até o final da tarde (momento em que as unidades de aplicação de imunizante encerram o atendimento ao público) 1.901.102 pessoas (37,4% dos segmentos-alvo da campanha até agora) haviam sido contempladas com a primeira dose e 485.821 (10,1%) com a segunda injeção.

Defesa da ciência

Durante reunião virtual do Fórum Nacional de Vice-Governadores nesta sexta-feira, o representante gaúcho Ranolfo Vieira Júnior reforçou a importância do enfrentamento ao coronavírus ser tratado de forma técnica em todo o País: “Já passou da hora de despolitizarmos a pandemia”, ressaltou. “Precisamos tratar a situação de forma técnica, com base na ciência”.

Ele mencionou uma polêmica recente envolvendo o Estado: “Aqui no Rio Grande do Sul fomos acusados de esconder vacinas, no entanto somos o Estado que proporcionalmente mais aplicou doses”.

Ao longo de duas horas e meia, os demais vice-governadores dividiram suas experiências no gerenciamento da pandemia e a logística de imunização em seus Estados, sob mediação do presidente da Rede Nacional de Consórcios Públicos e organizador executivo do Fórum, Victor Borges.

O encontro contou também com apresentações da senadora Kátia Abreu (PP-TO), presidente da Comissão de Relações Exteriores; Socorro Gross, representante da Organização Pan-Americana e Mundial de Saúde (Opas); do ministro substituto de Ciência e Tecnologia, Leonidas Medeiros; e do secretário de Ações Estratégias do ministério, Marcelo Morales.

A parlamentar detalhou esforços e articulações junto à comunidade internacional para a aquisição de vacinas.  Socorro Gross, por sua vez, reforçou a atuação no Ministério da Saúde na aquisição de medicamentos dos chamados “kits intubação” para pacientes em UTIs.

Na parte final do evento, o ministro Leonidas e o secretário Morales falaram de investimentos que o governo federal tem feito para desenvolver vacinas com tecnologia nacional.

O Fórum Nacional de Vice-Governadores tem como objetivos gerar articulação conjunta em pautas de interesse dos Estados e abrir diálogo permanente entre vice-governadores. A primeira reunião aconteceu no dia 18 de março e debateu temas como Pacto Federativo, combate à pandemia e a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Auxílio Emergencial. O terceiro encontro será em maio.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, a vacina da gripe só é oferecida de segunda a sexta. Endereços são diferentes para quem busca imunização contra o coronavírus
Caixa pode fazer novas antecipações de saques do auxílio emergencial
Deixe seu comentário
Pode te interessar