Terça-feira, 26 de outubro de 2021

Porto Alegre

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Rio Grande do Sul Rio Grande do Sul tem previsão de chuvas mais intensas nos próximos sete dias

Compartilhe esta notícia:

Entre a segunda e terça-feira, uma nova frente fria provocará pancadas de chuva e trovoadas, com chance de temporais isolados na maioria das regiões.

Foto: Arquivo O Sul
Entre a segunda e terça-feira, uma nova frente fria provocará pancadas de chuva e trovoadas, com chance de temporais isolados na maioria das regiões. (Foto: Arquivo O Sul)

Os próximos sete dias terão chuva de volumes elevados em diversas regiões do Estado, conforme o Boletim Agrometeorológico nº 37 publicado pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Emater-RS e Irga.

Nesta sexta-feira (17), a propagação de uma área de baixa pressão favorecerá a ocorrência de pancadas de chuva na maior parte do Rio Grande do Sul, com possibilidade de temporais isolados na Metade Norte e na faixa Leste. No sábado (18) e domingo (19), o tempo permanecerá firme, com grande variação de nuvens e temperaturas elevadas.

Entre a segunda – feriado de 20 de Setembro – e terça-feira (21), a atuação de uma área de baixa pressão e de uma nova frente fria provocará pancadas de chuva e trovoadas, com chance de temporais isolados na maioria das regiões.

Na quarta-feira (22), o ingresso de uma massa de ar seco e frio afastará a nebulosidade e provocará ligeiro declínio da temperatura.

Os totais esperados oscilarão entre 20 e 40 mm na maioria das localidades da Metade Sul. No restante do Estado, os volumes previstos deverão oscilar entre 45 e 65 mm, e poderão alcançar 100 mm em algumas localidades do Planalto e nos Campos de Cima da Serra.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Brigada Militar intensifica fiscalização nas rodovias gaúchas no feriado de 20 de Setembro
Mais da metade da inflação é resultado da disparada dos combustíveis, energia e carne, aponta levantamento
Deixe seu comentário
Pode te interessar