Domingo, 05 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Cloudy

Esporte Ronaldo Fenômeno elege Messi como o maior futebolista que viu jogar, e deixa Cristiano Ronaldo de fora de seu top 5

Compartilhe esta notícia:

Fenômeno também comentou sobre as comparações entre ele e Mbappé. (Foto: Reuters)

Ronaldo Fenômeno foi questionado sobre os cinco jogadores que ele mais gosta de ver em ação. O ranking do brasileiro gerou polêmicas por deixar Cristiano Ronaldo de fora e eleger Messi como número 1.

“Messi, é claro, ele é o número um. Vamos esperar 20 ou 30 anos para ver algo semelhante ao seu talento”, disse o ex-jogador em entrevista ao “AS”.

Apesar de deixar o xará português de fora, a lista de Ronaldo tem ainda Mohamed Salah, Eden Hazard, Neymar e Kylian Mbappé.

“Eu também gosto de Salah, Hazard, Neymar, adoro vê-lo jogar, e Mbappé, é claro”, acrescentou Fenômeno.

O R9 agora é o presidente e proprietário do time espanhol Real Valladolid, e comentou sobre as comparações entre ele e o craque francês do PSG.

“Muitas pessoas dizem que ele é parecido comigo. Ele tem tanto ritmo, finaliza bem, se move bem, chuta brilhantemente com os dois pés, e tem um passe incrível. Temos semelhanças, mas nunca gosto de comparações, principalmente entre jogadores de diferentes gerações, porque as situações são diferentes”, disse ele sobre Mbappé.

De outro planeta”

Em 1993, Ernie Brandts descobriu Ronaldo no futebol brasileiro e foi responsável por levar o craque para o PSV. Há 25 anos, o atacante foi artilheiro do Campeonato Holandês e deu um passo importante para a consolidação de sua carreira no futebol europeu. O assistente técnico conta ao “Voetball” sobre suas primeiras impressões do fenômeno.

“Eu não acreditava no que via. Ronaldo era fisicamente forte, agressivo, com aceleração incrível, um chute forte e uma grande capacidade de marcar. Era de outro planeta. Eu imediatamente duvidei da idade dele. Não havia como ele ser tão bom aos 16 anos”, lembra.

Brandts afirma que o PSV demorou para contratar o jogador por esperar ele ser convocado para a Copa do Mundo de 1994.

“O PSV esperou muito. Dez meses depois que vi Ronaldo, Kees Ploegsma Junior disse ao seu pai, que havia sido presidente no clube que o “Ronaldo, de quem Ernie falava, estava na Seleção Brasileira na Copa do Mundo”. Foi então que o PSV entrou em ação.

Após uma passagem curta pelo futebol holandês, o craque brasileiro teve uma temporada com a camisa do Barcelona antes de se mudar para a Inter de Milão e fazer sucesso no clube. Ronaldo depois foi para o Real Madrid, equipe em que mais jogou na carreira até ir para o Milan, onde encerrou sua carreira na Europa.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

Os clubes espanhóis retomaram os treinamentos em grupo nesta segunda-feira, começando a fase final dos preparativos para o retorno do campeonato nacional
A volta do futebol na Itália, Espanha e Inglaterra terá uma média de seis jogos por dia nos próximos dois meses
Deixe seu comentário
Pode te interessar