Sábado, 02 de julho de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Saúde Saiba quais são os sintomas da covid em quem tomou 2 ou mais doses de vacina

Compartilhe esta notícia:

Incômodos típicos da infecção pelo coronavírus podem variar de acordo com o nível de imunidade de cada um. (Foto: Reprodução)

Nariz escorrendo, dor de cabeça, espirros, dor de garganta e tosse persistente. Esses são os cinco sintomas mais comuns entre as pessoas que tiveram covid após tomarem duas ou mais doses de vacina.

Já nos indivíduos que não foram imunizados, os incômodos mais frequentes da doença são, em ordem decrescente, dor de cabeça, dor de garganta, nariz escorrendo, febre e tosse persistente.

Esses achados vêm de um acompanhamento feito há mais de dois anos no Reino Unido através de um aplicativo criado pela empresa de tecnologia Zoe.

Os dados são analisados em parceria com pesquisadores do King’s College, universidade localizada em Londres, com apoio do NHS, o sistema de saúde pública do país.

Os mais de 4,7 milhões de usuários cadastrados na plataforma online precisam apenas reportar os sintomas que sentem quando testam positivo para covid.

A partir daí, os especialistas analisam todas essas informações e montam uma espécie de ranking dos sintomas mais corriqueiros, que mudaram consideravelmente ao longo das semanas e meses de pandemia.

O trabalho, que até março de 2022 recebia financiamento do governo do Reino Unido, foi fundamental para identificar com rapidez alguns dos incômodos menos esperados da covid, como a perda de olfato e paladar.

Confira a seguir os sintomas mais frequentes da doença de acordo com a quantidade de doses de vacina aplicadas.

Entre as pessoas que tomaram ao menos duas doses de vacina, os sintomas de covid mais comuns são:

— Nariz escorrendo
—Dor de cabeça
— Espirros
— Dor de garganta
— Tosse persistente

Já entre aqueles não tomaram nenhuma dose, o top 5 sofre algumas mudanças:

— Dor de cabeça
— Dor de garganta
— Nariz escorrendo
— Febre
— Tosse persistente

A principal diferença é a presença da febre entre aqueles que não foram vacinados, o que indica um quadro mais grave. Eles também relatam mais dor de cabeça e dor de garganta em comparação com aqueles que tomaram duas ou mais doses do imunizante.

“Existem algumas razões para explicar essa mudança, como o fato de que indivíduos vacinados têm sintomas menos severos”, analisam os responsáveis pelo experimento, em numa publicação feita no site oficial do aplicativo Zoe em 25 de abril.

“Também precisamos considerar que um volume maior de casos é reportado nos indivíduos mais jovens, que apresentam sintomas diferentes e menos graves”, complementam.

Os autores ponderam que o ranking de sintomas é baseado apenas nas informações compartilhadas dentro do aplicativo. Isso, portanto, não leva em conta a circulação de variantes específicas do coronavírus.

E vale lembrar também que os sintomas de covid podem variar bastante. A lista completa das manifestações típicas da doença, de acordo com o serviço de saúde pública do Reino Unido, inclui:

— Febre
— Calafrio
— Tosse persistente
— Perda ou mudança de olfato
— Perda ou mudança de paladar
— Dificuldade para respirar
— Cansaço ou exaustão
— Dor no corpo
— Dor de cabeça
— Dor de garganta
— Nariz entupido ou escorrendo
— Perda de apetite
— Diarreia
— Se sentir mal, com náusea e enjoo

De acordo com autoridades nacionais e internacionais, se você apresentar um ou mais dos sinais típicos da infecção pelo coronavírus, o primeiro passo é ficar em casa e restringir a interação com outras pessoas.

Isso é ainda mais importante se você tem contato com indivíduos vulneráveis às complicações da covid, como idosos ou pacientes com o sistema imunológico comprometido.

Nesse contexto, outro passo importante é fazer um teste para confirmar ou descartar a doença.

Além do RT-PCR, que é considerado o principal e mais confiável método de diagnóstico, é possível encontrar testes rápidos de antígeno em farmácias e laboratórios espalhados pelo país.

Caso o resultado seja mesmo positivo, é importante seguir em isolamento por cinco a sete dias.

Se os incômodos melhorarem depois desse tempo, é possível retomar a rotina. Agora, se eles piorarem (ou aparecerem outros mais graves, como falta de ar), é importante buscar um pronto-socorro.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Proteção precoce: depois dos Estados Unidos, Pfizer quer vacinar menores de 5 anos contra a covid no Brasil
Pulseira digital detecta covid dois dias antes dos sintomas
Deixe seu comentário
Pode te interessar