Sábado, 08 de Maio de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Mostly Cloudy / Wind

Acontece Santa Casa reforçou a humanização da medicina em 2017

Compartilhe esta notícia:

Santa Casa
O fechamento ocorre para a substituição e limpeza de dutos do sistema de ar-condicionado. (Foto: Banco de Dados)

Aos 214 anos, comemorados neste 2017, a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre se apresenta, cada vez mais, como uma instituição capaz de trazer esperança em um cenário caótico. Amparada por uma gestão que devolveu o equilíbrio financeiro, fato confirmado já em 2016, quando voltou a registrar superávit nas contas (R$ 16 milhões), depois de três anos em recuperação de uma crise que afetou todo o Brasil, a Santa Casa demonstrou no período que finda que a humanização da medicina é o caminho para resultados expressivos e positivos para toda a sociedade.

No aspecto financeiro, a projeção para 2017, mesmo abaixo do esperado, é positiva. Até outubro, era previsto um resultado acumulado de R$ 29 milhões, enquanto o mês fechou com R$ 7,9 milhões. O principal desvio foi o aumento do custo necessário para cobrir o déficit com o SUS, projetado em R$ 105 milhões até outubro, mas que até aquele momento passa dos R$ 121 milhões. No entanto, com muito trabalho para gerar e angariar recursos, os projetos da instituição com direta contribuição social marcaram o ano da Santa Casa. Já no mês de março, foi finalizado o credenciamento para a ampliação dos leitos SUS da UTI Pediátrica do Hospital da Criança Santo Antônio (HCSA), obra grandiosa desenvolvida generosamente pelas Voluntárias pela Vida. Esse projeto, que acrescentou 10 leitos ao HCSA, teve início no final de 2014 e custou quase R$ 4 milhões, verba arrecadada junto à comunidade do Rio Grande do Sul. Com o credenciamento, o hospital passou a contar com 24 vagas de UTI destinadas às crianças e adolescentes em tratamento no HCSA, provenientes do SUS.

No mesmo mês, outros dois fatos tiveram destaque. O primeiro foi o convênio entre a Santa Casa e a prefeitura de Santo Antônio da Patrulha para a gestão do hospital do município, com a parceria da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). Na medida em que estiver em funcionamento pleno, o convênio vai favorecer que o hospital se converta em um centro de referência de assistência para o Litoral Norte.

Na sequência, ocorreu o lançamento do Pacote Social, uma nova alternativa assistencial para a comunidade, com mais de 35 procedimentos cirúrgicos de grande necessidade, mas não de urgência (eletivas), como vasectomia, cirurgia de varizes, retirada de vesícula, cirurgia de hérnia e catarata. O Pacote Social surgiu para atender necessidades de milhares de pessoas que não conseguem acessar serviços de saúde e precisam de outra saída, com custos mais baixos, englobando todas as despesas hospitalares e de honorários médicos, incluindo anestesista, possibilidade de parcelamento, além de usufruir das especialidades e estrutura da Santa Casa.

Em maio, beneficiando diretamente pacientes do SUS, a instituição comemorou o primeiro ano da Casa de Apoio Madre Ana, residência localizada no Centro da Capital gaúcha e que serve de lar para familiares e pacientes que não possuem condições de se hospedar na região e estão em tratamento na Santa Casa. Mais de mil hóspedes já passaram pelo local, a maioria formada por pacientes oncológicos, de transplante e de cirurgia cardíaca pediátrica. Desses, 70% foi de crianças atendidas no HCSA e seus acompanhantes, normalmente, a mãe.

No mesmo período, a Santa Casa apresentou para a sociedade o seu novo posicionamento institucional: “Antes de tudo, amor pela vida”. O conceito, que tem a misericórdia como tema central, destacou justamente a humanização da medicina, conforme o diretor-geral e de Relações Institucionais, Julio Flávio Dornelles de Matos. “Esse é um fato que está presente nas mais de duas centenas de anos da Santa Casa. Todos que aqui trabalham sempre estiveram focados em proporcionar um atendimento que coloque as pessoas em primeiro lugar. Então, nada é mais verídico para nós e cheio de significado do que isso”, reforça Matos.

Um dos momentos mais importantes do ano ocorreu em setembro, quando a Santa Casa anunciou a construção da nova emergência no Hospital Santa Clara. O prédio de 29.700 m², que ficará localizado próximo a atual emergência SUS, com entrada pela Avenida João Pessoa, será uma estrutura com espaço destinado ao ensino e pesquisa; 140 novos leitos na unidade de internação; 72 novas máquinas de diálise simultâneas; 35 leitos de internação obstétrica; ambulatórios; áreas de apoio, como Central de Esterilização, Almoxarifado/Farmácia, Nutrição, Recebimento de Materiais e Medicamentos; emergência e pronto atendimento SUS. O empreendimento também dobrará a capacidade de atendimento na emergência, passando dos atuais 12 leitos de observação para 30 leitos. Além disso, o objetivo é tornar o local uma referência no atendimento ao idoso, criar um Centro da Mulher e o Centro do Homem, centralizando em um mesmo ambiente o atendimento, centro de diagnóstico e tratamento específico às necessidades de cada público. O investimento total será de R$ 100 milhões, e as obras estão previstas para começar no segundo semestre de 2018, com prazo para execução programado para 36 meses.

A Santa Casa também se destacou com a mobilização em campanhas de conscientização, como Outubro Rosa, na prevenção do câncer de mama; Novembro Azul, para ressaltar a importância dos cuidados com a saúde do homem; e uma das causas mais nobres estimuladas pela instituição, que é o Setembro Verde, mês no qual a doação de órgãos é amplamente debatida, e cujos resultados foram percebidos quase instantaneamente, beneficiando dezenas de vidas. Em outubro, após a campanha “Vida. O show tem que continuar”, a Santa Casa realizou o maior número de transplantes de sua história, com 78 procedimentos em um único mês.

Composto por sete unidades, o complexo da Santa Casa é especializado nos atendimentos de adulto geral, pediatria, cardiologia, neurocirurgia, pneumologia, oncologia e transplantes. Também é a única instituição hospitalar do Brasil a realizar todos os tipos de transplantes de órgãos, além de ser referência em procedimentos de alta complexidade e ser certificada como hospital de ensino, atuando como hospital-escola da Universidade Federal de Ciências e Saúde de Porto Alegre, desde 1961. Com quase 1,1 mil leitos (60% SUS e 40% particulares e convênios), a Santa Casa e os 7 mil colaboradores que a compõem atendem, em média, um milhão de pessoas por ano, de todo o Brasil.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Acontece

Tea Shop: a marca espanhola de chás aumentou em 150% o número de operações no Brasil
Natal solidário anima crianças do Instituto Vida Solidária
Deixe seu comentário
Pode te interessar