Quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Rio Grande do Sul Secretaria Estadual da Segurança Pública inicia sindicância para apurar causas do incêndio em sua sede

Compartilhe esta notícia:

Peritos do Instituto-Geral de Perícias trabalham no caso. (Foto: Rodrigo Ziebell/Ascom GVG)

Foto: Rodrigo Ziebell/Ascom GVG
Peritos do Instituto-Geral de Perícias trabalham no caso. (Foto: Rodrigo Ziebell/Ascom GVG)

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) realizou, nesta sexta-feira (23), a primeira reunião da comissão da sindicância administrativo-disciplinar que apurará as causas do incêndio que destruiu a sede da instituição, na noite de 14 de julho. A comissão é presidida pela procuradora Jucilene Cardoso Pereira, representante da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) na SSP.

Além da SSP e da PGE, participam da comissão a Casa Civil, a Secretaria de Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo (SJSPS) e a Secretaria de Obras e Habitação (SOP). Uma das participantes da comissão, indicada pela SSP, é uma perita criminal que tem mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e desenvolveu sua dissertação na área de perícias de incêndios. A comissão conta com corpo técnico especializado para qualificar a apuração. Além da perita do Instituto-Geral de Perícias (IGP), a SOP destacou engenheiros especialistas.

Entre os objetivos da sindicância, está o levantamento de danos e prejuízos, identificação de possíveis causas do incêndio e apuração de eventual infração administrativa relacionada ao fato. A estimativa é de que o trabalho dure 30 dias, prorrogáveis por mais 30. No entanto, é possível estender ainda mais o prazo, conforme a necessidade de tempo para produção de prova, em especial as periciais.

O vice-governador e titular da SSP, Ranolfo Vieira Júnior, enfatizou a necessidade de uma profunda investigação interna para definir as causas do incêndio e, principalmente, para avaliar os prejuízos resultantes da tragédia. “A sindicância, sem prejuízo ao inquérito conduzido pela Polícia Civil, será importante para nos auxiliar a compreender o incidente e também para tomarmos as medidas necessárias”, disse.

Homenagens

Em cerimônia com familiares, colegas, amigos e autoridades em Porto Alegre, foram velados e conduzidos para cremação na quinta-feira (22) os corpos dos dois bombeiros mortos durante combate a incêndio no edifício-sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP), no bairro Floresta. Homenagens e manifestações oficiais marcaram a despedida.

O primeiro-tenente Deroci de Almeida da Costa, 46 anos, e ao segundo-sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, 51 anos, foram encontrados sem vida na noite de quarta (21), uma semana após as chamas consumirem o prédio. Ambos os cadáveres estavam próximos um do outro, sob uma grande pilha de escombros.

O governador Eduardo Leite decretou luto oficial de três dias no Estado. A mesma medida foi determinada em Porto Alegre pelo prefeito Sebastião Melo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Porto Alegre mantém neste fim de semana a vacinação contra covid para a faixa etária a partir de 31 anos
A pandemia de coronavírus já matou 32.972 pessoas no Rio Grande do Sul
Deixe seu comentário
Pode te interessar