Terça-feira, 13 de Abril de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Mostly Cloudy

Polícia Sem acordo, a definição sobre as presidências das comissões da Câmara dos Deputados ficou para a próxima terça-feira

Compartilhe esta notícia:

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que não houve acordo entre os partidos. (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), informou após a reunião de líderes que a definição sobre as presidências das comissões permanentes ficou para a próxima terça-feira (9). “Não tem imbróglio, só não tem acordo” entre os partidos, explicou Lira. Segundo ele, o único acordo é que a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) ficará com o PSL.

“É o tempo necessário para que os líderes organizem os últimos detalhes da distribuição proporcional das presidências”, disse o 1º vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos (PL-AM).

O comando das 25 comissões permanentes é distribuído pelo critério da proporcionalidade partidária, ou seja, quanto maior o número de deputados de determinado partido ou bloco partidário, mais comissões esse partido ou bloco tem o direito de presidir.

Depois da definição de qual partido vai presidir qual comissão, e de quantas vagas cada partido terá em cada comissão, os líderes indicam os integrantes de cada uma. Em seguida, as comissões se reúnem para eleger seu presidente e seus vice-presidentes e começam a funcionar.

As comissões são responsáveis pela discussão e votação de projetos de lei, conforme sua área de abrangência. A maioria dos projetos de lei em análise na Câmara tem tramitação conclusiva nas comissões. Ou seja, não precisam ser votados no Plenário. Nesses casos, depois de passar pelas comissões, vão direto para o Senado ou para sanção presidencial, quando já tiverem sido aprovados pelo Senado.

As comissões também realizam audiências públicas, que são um dos meios de participação da sociedade no debate das propostas. A comissão considerada mais importante é a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, pela qual passam todos os projetos.

As 25 comissões permanentes são:

– Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural;

– Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática;

– Constituição e Justiça e de Cidadania;

– Cultura;

– Defesa do Consumidor;

– Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços;

– Desenvolvimento Urbano;

– Direitos da Mulher;

– Direitos da Pessoa Idosa;

– Direitos das Pessoas com Deficiência;

– Direitos Humanos e Minorias;

– Educação;

– Esporte;

– Finanças e Tributação;

– Fiscalização Financeira e Controle;

– Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e Amazônia;

– Legislação Participativa;

– Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável;

– Minas e Energia;

– Relações exteriores e Defesa Nacional;

– Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado;

– Seguridade Social e Família;

– Trabalho, Administração e Serviço Público;

– Turismo;

– Viação e Transportes.

Além das 25 comissões permanentes em funcionamento, há outras dezenas de comissões temporárias – onde se incluem as parlamentares de inquérito (CPIs) – e as mistas, formadas por deputados e senadores. As informações são da Agência Brasil.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Polícia

Duzentos quilos de peixe sem refrigeração são apreendidos no Vale do Taquari
Bola de futebol continha drogas para apenados da Penitenciária de Montenegro
Deixe seu comentário
Pode te interessar