Sábado, 04 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Fair

CAD1 Senadores pedem ao governo evidências de que Obama tenha grampeado Trump

Compartilhe esta notícia:

O presidente dos EUA, Donald Trump (D), declarou que o seu antecessor, Barack Obama (E), o tenha grampeado durante a campanha presidencial de 2016. (Foto: Reprodução)

Dois importantes senadores pediram ao FBI (a polícia federal dos EUA) e ao Departamento de Justiça nesta quarta-feira (8) qualquer informação que eles tenham relacionada à declaração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que o seu antecessor, Barack Obama, o tenha grampeado durante a campanha presidencial de 2016.

Em carta para James Comey, diretor do FBI, e o vice-secretário de Justiça, Dana Boente, o republicano Lindsey Graham e o democrata Sheldon Whitehouse escreveram:

“Nós pedimos que o Departamento de Justiça nos forneça cópias de qualquer pedido de mandado e ordem judicial relacionados com grampos do presidente Trump, da campanha Trump ou da Trump Tower.”

Pela lei norte-americana, presidentes não podem grampear diretamente. O governo federal pode pedir a uma Corte a autorização para a ação e, para isso, deve fornecer justificativa.

Perguntado nesta quarta se Trump era objeto de uma investigação, Sean Spicer, porta-voz da Casa Branca, respondeu: “Não há razão para termos que pensar que o presidente é alvo de alguma investigação”.

Na segunda-feira (6), a Casa Branca exortou o Congresso, controlado pelo Partido Republicano de Trump, a examinar, como parte de um inquérito parlamentar em andamento sobre a influência da Rússia na eleição, se a gestão Obama abusou de sua autoridade investigativa durante a campanha presidencial de 2016.

Falta de indícios

Um parlamentar republicano que preside a comissão de supervisão da Câmara dos Deputados disse na segunda que não viu nenhum indício direto que apoie a afirmação de Trump.

“Até agora, não vi nada diretamente que sustentaria o que o presidente disse”, afirmou Jason Chaffetz, presidente do Comitê de Supervisão e Reforma Governamental da Câmara, à rede CBS em uma entrevista.

Chaffetz disse que levará algum tempo para que uma comissão de Inteligência da casa que investiga os supostos laços de Moscou esclareça a alegação de grampo, e que seu comitê irá desempenhar um papel coadjuvante nessa tarefa.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de CAD1

“Nós temos 1 dia, Vossa Excelência tem todos os outros”, diz Cármen Lúcia a Barroso
Cientistas detectam pó interestelar de uma das galáxias mais distantes
Deixe seu comentário
Pode te interessar