Segunda-feira, 25 de outubro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Ciência SpaceX: Turistas espaciais tocam ukulele e mostram vida em microgravidade

Compartilhe esta notícia:

Tripulantes da missão espacial 'Inspiration4' conversaram direto do espaço com equipe da SpaceX. (Foto: Inspiration4)

Há pouco mais de um dia no espaço, a tripulação da ‘Inspiration4’, da Space X, realizou pesquisas científicas, deu mais de 15 voltas ao redor do planeta, assistiu a 25 amanheceres e 25 entardeceres e ainda sobrou tempo para comer, descansar. Os turistas espaciais ainda reservaram um tempo na agenda para conversar com membros da empresa de Musk numa transmissão em tempo real que pôde ser acompanhada em todo o mundo através das redes sociais.

Entusiasmados, os tripulantes deram as boas vindas aos espectadores e realizaram algumas experiências na espaçonave, por volta das 18h (horário de Brasília).

“Bem vindos à Crew Dragon Resilience. Estamos navegando agora a 580 quilômetros acima da Terra, indo a cerca de 7,6 quilômetros por segundo, portanto, estamos vendo o mundo a cada 90 minutos. Isso é o quão rápido estamos viajando em torno dele e é incrível”, disse Isaacman, ao iniciar a transmissão.

Após a apresentação de cada um dos membros, os tripulantes filmaram a visão da cúpula para o público.

“Infelizmente, acabamos de entrar na escuridão. Espero que vocês estejam uma boa visão das luzes noturnas (da Terra). Toda vez que escurece, temos essa vista incrível”, disse a geocientista Sian Proctor.

“Temos uma aurora que aparece à nossa direita, espero que vocês possam ver isso. Estamos atualmente sobre a Europa. (…) Temos usado bastante a cúpula, que nos permite ver todo o perímetro da Terra e dá uma perspectiva incrível, é uma vista de outro mundo”, completou Hayley Arceneaux.

Experimentos científicos

A tripulação também mostrou um iPhone conectado a um ultrassom portátil. Os equipamentos tem sido utilizados para uma série de pesquisas científicas durante os três dias em órbita.

“Usamos em vários experimentos diferentes, incluindo o da veia jugular interna e também medindo nossa córnea e nervo óptico para indicações de pressão intercraniana. Também fazemos alguns outros exames com ele que são úteis”, explicou Isaacman.

A médica Hayley Arceneaux acrescentou que os tripulantes estão coletando fluidos de partes do corpo para avaliar seus microbiomas e como eles mudam ao longo do tempo no espaço.

“Tem sido muito interessante ver como os fluidos mudam com este ambiente de microgravidade. Isso é algo que os cientistas estão estudando, e estamos felizes em contribuir com isso. (…) Também temos dado um monte de amostras de sangue para as equipes de pesquisa e feito testes cognitivos”, disse.

Arte afrofuturista e ukulele no espaço

A geocientista Sian Proctor, que também é artista e produz obras com estéticas afrofuturistas, exibiu ao público um desenho que fez durante a jornada no espaço.

“Eu realmente gostei de aprender a usar marcadores no espaço e ontem à noite eu desenhei isso”, contou Proctor. “Aqui está meu amigo, meu desenho da cápsula Crew Dragon sendo carregada por um dragão para fora da Terra”, mostrou a artista.

Outro item exibido aos espectadores foi um ukulele (instrumento de cordas) da Martin Guitar levado por Chris Sembroski, que chegou a tocar o instrumento no espaço durante a live.

“Queríamos trazer mais das nossas ciências humanas conosco, então temos esse ukulele personalizado com um patch (da ‘Inspiration4’). Tem sido muito divertido praticar alguma música enquanto estamos flutuando ao redor da Terra (…) Ainda é antes do café. Vou melhorar com o passar do dia”, brincou Sembroski, depois de tocar uma canção no ukulele.

Os membros da tripulação também brincaram com a microgravidade, dando algumas piruetas e mostrando aos espectadores como uma garrafa com água se comporta no espaço.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Luciano Huck fala de especulação sobre ter o maior salário da TV
Aos 91 anos, Clint Eastwood encanta e surpreende com “Cry Macho”
Deixe seu comentário
Pode te interessar