Segunda-feira, 15 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Thunder and Hail / Wind

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Política Supremo marca julgamento de mudança na Lei de Improbidade Administrativa para agosto

Compartilhe esta notícia:

As ações são relatadas pelo ministro Alexandre de Moraes e estão previstas logo após a retomada dos trabalhos no Judiciário.

Foto: Rosinei Coutinho/STF
Preocupação do STF com um aumento da violência durante a campanha se soma aos movimentos do TSE de enfrentar os ataques às urnas. (Foto: Rosinei Coutinho/STF)

O Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para agosto o julgamento de três ações que questionam mudanças na Lei de Improbidade Administrativa.

As ações são relatadas pelo ministro Alexandre de Moraes e estão previstas na pauta do dia 3 de agosto, logo após a retomada dos trabalhos no Judiciário.

O julgamento atende a um pedido feito pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e líderes da Casa. Nesta semana, o presidente do STF, ministro Luiz Fux, recebeu deputados no Supremo e essas mudanças na Lei de Improbidade Administrativa foram assunto da conversa.

Segundo comunicado divulgado pelo STF, Lira defendeu, durante o café da manhã, o julgamento das ações e disse que seria importante para o Congresso que houvesse uma diferenciação clara sobre quando há dolo (intenção) ou quando houve erro na gestão.

Na sessão desta sexta-feira (1º) de fim do 1º semestre de 2022, Fux destacou que as ações seriam pautadas antes do fim da sua gestão (que se encerra em setembro).

Em fevereiro deste ano, Moraes, relator da ação, derrubou um dispositivo que definia o Ministério Público como órgão exclusivo para acionar a Justiça agentes públicos que porventura tenham cometido ato de improbidade administrativa.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Ministro do Supremo manda o governo federal explicar cartilha contrária ao aborto previsto em lei
Número 2 na Caixa, Celso Barbosa renuncia ao cargo de vice-presidente de Negócios de Atacado
Deixe seu comentário
Pode te interessar