Terça-feira, 28 de Janeiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
29°
Mostly Cloudy

Brasil Taxa de mulheres assassinadas dentro de casa teve aumento de 17,1%, segundo Atlas da Violência

O agressor de violência doméstica terá que ressarcir o SUS com os custos de atendimento médico e hospitalar conferidos à vítima (Foto: Divulgação)

Estudo feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) apontou dados alarmantes relacionados a taxa de homicídios cometidos contra mulheres. O Atlas da Violência deste ano demonstrou que a taxa de mulheres assassinadas cresceu 5,4%, mais de 1% superior a taxa geral de homicídios, que chega a 4,2%. A estimativa calcula que 31,6 mulheres são mortas a cada 100 mil habitantes. Essa é a maior taxa desde 2007.

Dos assassinatos, 28,5% são considerados crimes de feminicídio, em que a vítima foi morta dentro da própria casa. Entre os anos de 2012 e 2017, houve um aumento de 17,1% nestes casos. Estes crimes são, na maior parte das vezes, relacionados a violência doméstica. Ainda neste quesito, houve um aumento de 29,9% nos casos em que as vítimas eram mulheres negras.

A diretora executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública expressou a preocupação com o quadro: “A gente tem o crescimento da violência contra a mulher e todas estão sendo atingidas, mas as mulheres negras estão sendo atingidas com uma força muito maior”.

Voltar Todas de Brasil

Compartilhe esta notícia:

Ex-enfermeiro alemão é condenado por 85 mortes, um dos casos mais graves de assassinato em série
Rodrigo Maia se pronuncia sobre PL das cadeirinhas: “Não tem chance de prosperar”
Deixe seu comentário
Pode te interessar