Segunda-feira, 08 de Março de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Partly Cloudy

Educação UFSC alerta para aglomeração no Enem

Compartilhe esta notícia:

Inep prevê salas com 80% de ocupação

Foto: Reprodução
Inep prevê salas com 80% de ocupação. (Foto: Divulgação)

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) divulgou em que faz um alerta e questiona o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep) sobre os riscos de aglomeração nas salas dos centros de ensino de Florianópolis.

A prefeitura e o Ministério Público Federal (MPF) também foram acionados pela reitoria sobre as medidas de prevenção ao coronavírus durante a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A medida ocorreu após a UFSC receber o plano de salas com ocupação de 80% de candidatos para a realização do Enem. De acordo com a instituição, a condição para ceder os espaços seria que as salas tivessem limite máximo de 40%.

A mudança, segundo a UFSC, foi feita pelos responsáveis pela organização e realização do exame. Em nota, a universidade diz não desejar comprometer a realização do Enem, mas ressalta que a evolução da pandemia no país “demanda medidas rigorosas e as ações adotadas têm o único objetivo de preservar vidas”.

A piora na pandemia de coronavírus nas semanas que antecederam o Enem levou a ações judiciais que pedem o adiamento da prova em todo o país, marcada para os dois próximos domingos. Neste ano, as provas ocorrem em cinco locais no campus da UFSC localizado na Trindade.

“As unidades ressaltam a obrigatoriedade do uso de máscaras, disponibilização de álcool 70% e manutenção de distanciamento de 1,5 metro entre os candidatos durante a realização das provas, conforme legislação vigente em Santa Catarina”, informou a nota da universidade.

A capital catarinense ocupa a segunda posição do estado no total de casos confirmados, com 46.240 infectados. Santa Catarina ultrapassou a marca de 5,8 mil mortes por coronavírus e chegou a 537.036 casos confirmados da doença, com 5.836 mortes.

Protocolos sanitários

Conforme o infectologista Alexandre Naime, há uma maior possibilidade de controle dos protocolos sanitários nos locais de prova.

“Com distanciamento adequado entre as carteiras, uso constante de máscara, higienização com álcool 70% e ventilação natural (janelas abertas), os riscos de contaminação não são nulos, mas ficam reduzidos. Não há a mesma garantia nos momentos anteriores ou posteriores à prova”, disse Naime, que é chefe da infectologia da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

A Vigilância Sanitária do município disse que o exame deve seguir as orientações da portaria da Secretaria Estadual de Saúde n° 714. No entanto, a portaria, que trata de concursos e provas, não estabelece um limite nas salas. No trecho são estabelecidos o distanciamento entre os inscritos que deve ser de 1,5m.

A mesma orientação sobre distanciamento foi reforçada pelo Governo do Estado.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Educação

Alpinistas nepaleses alcançam o topo do K2 no inverno pela primeira vez
Temporal e queda de luz afetam o abastecimento de água em Porto Alegre
Deixe seu comentário
Pode te interessar