Domingo, 14 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Mist

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Notícias Evento em Porto Alegre avalia soluções para enfrentamento do câncer

Compartilhe esta notícia:

Especialistas destacaram dois fatores que contribuem para esse número: a falta de acesso a informações e aos tratamentos. (Foto: Reprodução de internet)

A partir desta terça-feira, uma série de encontros ressalta as necessidades e lacunas do tratamento contra o câncer para se obter um diagnóstico atualizado da doença. Com o tema “Recursos Humanos e Treinamento”, o primeiro grupo se reúne às 10h no Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

No foco da iniciativa multissetorial – idealizada pelo City Cancer Challenge – está o fortalecimento e o aprimoramento dos serviços oncológicos. A coordenação é da Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Femama (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama) e Hospital Moinhos de Vento.

Nas reuniões temáticas estarão representantes de hospitais, sociedades médicas e universidades, associações de pacientes, voluntárias e instituições governamentais.

Porto Alegre é a capital com alta mortalidade por câncer no Brasil. Como apoio para desenvolver formas de planejar e implementar soluções de diagnóstico e tratamento à doença, a capital gaúcha foi selecionada, em maio do ano passado, como Cidade-Desafio do City Cancer Challenge.

Dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer) projetam que quase 55 mil novos casos de câncer devem ser registrados no Rio Grande do Sul em um período de até três anos. Destes, 7,67 mil serão em Porto Alegre.

A capital gaúcha apresentará 127,96 casos de câncer de próstata para cada 100 mil habitantes (quase o dobro dos 66,12 esperados para o País todo, na mesma base de comparação) e 114,25 casos de câncer de mama para cada 100 mil habitantes (mais que o dobro dos 56,33 estimados para o Brasil).

Temas

A etapa avaliativa consiste de encontros até 20 de maio, em diferentes locais da cidade, reunindo grupos multissetoriais e interdisciplinares divididos em 17 temas. Cada grupo irá priorizar um conjunto de desafios e ações, sendo que os resultados das discussões servirão para elaborar um plano de ações de longo prazo.

– Patologia;

– Clínica laboratorial;

– Banco de sangue;

– Imagem/radiologia;

– Imagem/Medicina Nuclear;

– Oncologia de adultos;

– Oncologia pediátrica;

– Cuidados paliativos e suporte;

– Gestão de serviços de saúde;

– Educação e treinamento;

– Protocolos clínicos;

– Segurança do trabalho;

– Registro de dados;

– Comunidade e acesso;

– Radioterapia;

– Cirurgia;

– Ética.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

Operação Lava-Jato quer saber se ex-deputado federal Pedro Corrêa já fez cirurgia bariátrica
“Bancada da bala” do Congresso Nacional quer acabar com idade mínima de policiais
Deixe seu comentário
Pode te interessar