Segunda-feira, 21 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Fair

Notícias Com um reportório diversificado, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre volta a se apresentar em uma igreja nesta sexta-feira

Compartilhe esta notícia:

Local escolhido é a igreja Santa Teresinha do Menino Jesus, no bairro Floresta. (Foto: Divulgação)

Dando continuidade à edição 2019 da série “Igrejas”, nesta sexta-feira a Ospa (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre) se apresenta às 20h na igreja da Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus (rua Ramiro Barcellos nº 386, bairro Floresta), com entrada franca. A iniciativa, que busca levar música clássica a diferentes templos religiosos da cidade, destaca um um repertório diversificado.

Sob a batuta do renomado maestro Fredi Gerling, serão interpretas peças dos compositores Daniel Wolff (1967-), Leo Brouwer (1939-) e Franz Schubert (1797-1828). O solo tem execução do violonista Paulo Inda, detentor de um prêmio Açorianos de 2006 com o melhor disco erudito.

O programa inicia com “Abertura Sopher”, de Daniel Wolff. Estreada pelo próprio regente Fredi Gerling em 1995, a obra é voltada à orquestração de cordas e celebra os dez anos da OCTSP (Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro).

Em seguida, o violonista Paulo Inda junta-se à Ospa para o solo de “Concerto Elegíaco”, do regente cubano Leo Brouwer. Com vasta carreira experimental, o compositor se destaca como referência em obras clássicas para violão. Suas peças para o instrumento têm reputação internacional, sendo interpretadas por instrumentistas de todo o mundo.

Para encerrar o espetáculo, a orquestra executa a “Sinfonia nº 6”, do mestre austríaco do romantismo Franz Schubert. A obra, elaborada para a orquestra particular de Otto Hatwig, estreou em 1818 e se constituiu por uma dimensão maior que as anteriores, com forte influência do alemão Ludwig Van Beethoven.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (51) 3222-7387 ou então no site www.ospa.org.br.

Regente

Violinista e regente, Fredi Gerling foi maestro e diretor artístico da Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro entre 1989 e 1995, tendo liderado o grupo em três turnês internacionais e gravado dois CDs. Nos Estados Unidos, esteve à frente da orquestra de cordas da Preucil Music School, além de trabalhar como solista, camerista e professor em diversas outras escolas e orquestras.

Tem atuado como professor convidado e regente em festivais e cursos extraordinários em Belo Horizonte (MG), Campos do Jordão (SP), Curitiba (PR), João Pessoa (PB), Londrina (PR), Brasília (DF) e Uberlândia (MG). Em 2000, foi professor visitante na University of Iowa (EUA), onde recebeu o título de “Doctor of Musical Arts” a partir da análise das “Bachianas Brasileiras nº 9”, do brasileiro Heitor Villa-Lobos.

Solista

Violonista e professor, Paulo Inda é detentor do já mencionado prêmio Açorianos. Realizou diversos concertos na Europa e Américas do Norte e do Sul, apresentando um amplo repertório que atravessa cinco séculos, incluindo performances solo, de câmara e concertos com orquestra.

Mestre em Guitar Performance pela Manhattan School of Music de Nova York (EUA), ele dividiu o palco com importantes nomes da música clássica e atuou como solista junto à própria Ospa, Orquestra de Câmara Sesi-Fundarte, Orquestra do Rio Grande do Sul, Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro e Orquestra da Ulbra.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

O novo relatório da segurança pública aponta uma queda de mais de 30% nos roubos de veículos entre janeiro e setembro no Rio Grande do Sul
O Brasil lidera rankings de depressão e ansiedade
Deixe seu comentário
Pode te interessar