Terça-feira, 26 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Partly Cloudy / Wind

Capa – Caderno 1 Vice-governador do Estado assegura que pode “ajudar a construir um novo Rio Grande do Sul”

Compartilhe esta notícia:

José Paulo Cairoli faz um balanço dos quatro anos do Governo Sartori. (Foto: O Sul)

O vice-governador José Paulo Cairoli mantém o otimismo frente a 2017 e diz que o trabalho vem sendo forte para reestruturar e modernizar o Governo, com ajustes adequados à realidade. “Tenho a certeza de que 2017 será muito melhor”, afirma o dirigente. Sua crença recai sobre a aprovação das medidas aprovadas nas últimas semanas pela Assembleia Legislativa. “Este projeto não se encerra neste pacote. Outras iniciativas se desenrolarão ao longo do ano”, adianta ele.

Mesmo diante das dificuldades decorrentes da extinção de algumas das fundações pelo Estado e que deixarão mais de mil pessoas desempregadas, Cairoli atesta que o olhar do Governo se voltou aos 11 milhões de gaúchos, motivo que impulsionou a adoção das medidas de modernização do Estado. “Temos que ter firmeza naquilo que acreditamos, no que queremos. O tempo vai passando e precisamos olhar para o futuro. Estamos tranquilos, sabemos que será um início de ano difícil e o day after será fundamental. Exigirá um esforço muito grande do Poder Executivo para fazer o que precisa ser feito.” Segundo ele, o Governo terá 180 dias para encerrar as atividades das instituições extintas, período que exigirá muitos ajustes.

Ele vê este momento como um desafio e não dispensa elogios ao governador José Ivo Sartori pelo seu caráter, fibra e decisão. Também reitera “a satisfação de ter ao seu lado um parceiro como Sartori, pela sua capacidade política. “Sei que posso ajudar a construir um novo Estado do RS”, assegura o vice-governador.

A visão ampla de Estado, conforme Cairoli, é necessária tendo por base o planejamento. Ele defende a mão de obra qualificada que o RS dispõe, decorrente da miscigenação de raças. Vê o Brasil crescendo do centro para cima e considera relevante um olhar para este novo País pelos próximos 20 anos, onde o RS está inserido.

Infraestrutura – O vice-governador avalia também o trabalho do Governo nos últimos dois anos, centrado em infraestrutura. Foram construídos 1,4 mil quilômetros de estradas, com investimentos de R$ 700 milhões com recursos do Banco Mundial. “Estamos finalizando a rodovia 118, iniciada há 22 anos e, em 2017, estão previstas outras melhorias a partir da lei das concessões, já aprovada em 2016. Além de concessões, vamos dar mais estradas à EGR [Empresa Gaúcha de Rodovias] e, com isso, queremos nos tornar mais competitivos, mesmo sabendo das dificuldades do cenário. O desafio será manter as empresas que geram renda. Se conseguirmos ajustar as contas públicas, este será o caminho para o desenvolvimento”.

O otimismo de José Paulo Cairoli para 2017 também tem suas raízes no setor primário. “Teremos uma grande safra, a bom custo, e esses resultados irão nos ajudar. Um País do tamanho do Brasil tem o compromisso de alimentar o restante do mundo. Somos muito fortes no setor primário”. Numa visão macro, Cairoli diz acreditar que “vamos encontrar o ajuste possível para o País e isto passa pelo RS”. Ele acredita nos indicativos que apontam o crescimento da economia global, mesmo diante das incertezas quanto aos rumos que o governo de Donald Trump dará aos EUA. (Clarice Ledur/O Sul)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Caderno 1

Benefícios previdenciários têm importância maior para a economia de cidades entre 20 mil e 30 mil habitantes
Motorista dirigindo um carro roubado morre após capotagem em rodovia em Esteio
Deixe seu comentário
Pode te interessar