Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Bolsonaro afirmou que militares estarão numa “segunda parte” da reforma da Previdência

Aldeia Pedagógica recebe estudantes em Viamão para tratar do Dia do Índio

Em parceria com a aldeia Mbya Guarani de Viamão, programa visa desmistificar a imagem do índio e aproximar alunos da realidade atual desses povos (Foto: Rafael Goelzer)

No mês do Dia do Índio, 19 de Abril, crianças e jovens estão aprenderão mais sobre essa cultura através do programa Valorização da Cultura Indígena e Populações Tradicionais. A iniciativa prevê uma nova educação, que forme cidadãos mais críticos e conscientes quanto ao fato de que no meio ambiente e na sociedade, dependemos todos uns dos outros.

As atividades serão realizadas na Fazenda Quinta da Estância em parceria com aldeia Mbyá Guarani de Viamão (RS) e possibilitam o estudo de noções de História, Geografia, Artes, dentre outras. Sempre no mês de abril, os estudantes têm a oportunidade de conversar com o cacique da aldeia para saber como era a vida antigamente e como é hoje, conhecer seus costumes, hábitos e saber a herança que nos deixaram como o chimarrão.

“Realizamos reuniões com comunidades indígenas e instituições de ensino e foi identificado que as crianças viam o índio de forma muito caricaturada e acabavam não conhecendo a fundo e valorizando esta cultura tão importante na formação do Brasil. Os professores perceberam que com esta vivência prática os alunos valorizavam e aprendiam de forma mais concreta sobre os primeiros povos do Brasil“, explica o diretor da Quinta da Estância, Rafael Goelzer.

Desde 1998, mais de 30 mil estudantes já foram sensibilizados. Os visitantes são convidados a trazer doações de alimento que já somam mais de 40 toneladas desde o início do projeto. Além disso, a venda do artesanato indígena acontece durante todo ano na Quinta da Estância, gerando renda significativa para as famílias.

Aldeia Pedagógica (Foto: Rafael Goelzer)
Aldeia Pedagógica (Foto: Rafael Goelzer)
Aldeia Pedagógica (Foto: Rafael Goelzer)
Aldeia Pedagógica (Foto: Rafael Goelzer)

As atividades

Os alunos poderão apreciar a música, a dança, a culinária (inclusive com degustação), aprenderão algumas saudações em guarani, as pinturas corporais indígenas, conversa com o cacique sobre sua tradição e as dificuldades presentes.

– Sítio arqueológico modelo: alunos aprendem como arqueólogos reescrevem a história de povos que não deixaram registros escritos

– Aldeia indígena pedagógica: foi construída na Quinta da Estância uma aldeia indígena que remonta a história das três culturas indígenas que habitavam o RS na época da chegada dos Europeus: Guaraní, Kainguangue e Charrua.

– Oficina das Pinturas: alunos aprendem sobre as pinturas indígenas e seus significados e também são pintados com a tinta natural do Urucum.

– Oficina da Gastronomia Indígena: espaço completo para os participantes conhecerem toda a herança gastronômica deixada pelos índios. Alunos vão poder experimentar pratos típicos e também conhecer as primeiras espécies de plantas domesticadas para plantio pelos índios.

– Oficina do Brincar: alunos irão aprender quais brincadeiras os curumins realizam na aldeia quando criança, muitas destas até hoje utilizadas por todos nós como Sapata, Peteca, Bolita, Perna de Pau. Também irão perceber que estas são coletivas e promovem a integração entre seus participantes, além de utilizarem itens da natureza para inspiração do brincar.

Deixe seu comentário: