Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
33°
Fair

| Brasil 0 x 1 Argentina. É justo a CBF pensar em demitir Tite para 2020?

Brasil perdeu por 1 a 0 para a Argentina em amistoso e chegou a cinco jogos sem vencer. (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

A seleção brasileira perdeu na sexta-feira (15) para a Argentina por 1 a 0, em amistoso disputado na Arábia Saudita, e chegou a cinco jogos seguidos sem vitórias, a pior marca desde 2013 e o maior jejum sob o comando de Tite. O momento ruim já causa insatisfação em parte dos torcedores, que mobilizaram até uma campanha virtual para pedir a demissão do treinador. Mas será mesmo que é o momento de a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pensar em uma troca de comando?

Tite está à frente da seleção há pouco mais de três anos, tendo assumido o cargo após a demissão de Dunga, eliminado na primeira fase da Copa América de 2016. Nesse período, o técnico ficou em primeiro nas Eliminatórias da Copa de 2018, foi eliminado nas quartas de final do Mundial pela Bélgica e conquistou o título da Copa América de 2019 em casa. As opiniões são de colunistas do UOL.

Para Paulo Vinicius Coelho, Tite deve “seguir, mas precisa da sensibilidade para fazer mudanças no time titular. Não dá para dizer que Tite é conservador, porque dos 62 convocados depois da Copa do Mundo, 32 deles (51%) não tinham sido chamados antes. Mas há gente pedindo passagem. Caso de Rodrygo. Não precisa ser campeão mundial de amistosos. Mas precisa voltar a jogar bem”.

Já Renato Maurício Prado, diz: “é justo pensar em demitir o Tite, e creio que isso seria o mais adequado para a seleção. Ele se perdeu por completo na Copa da Rússia e segue desorientado até agora – a Copa América aqui foi o famoso “Me Engana que eu Gosto”. Tite não consegue se desgrudar da maioria daquele grupo (Thiago Silva, Philippe Coutinho, Willian, Firmino etc.), e o time piora a cada amistoso. Isso sem falar da relação de promiscuidade e total submissão a Neymar e seu pai. E também da absurda história de nepotismo dele próprio, tornando o seu filho seu principal assessor na comissão técnica, sem que esse tenha currículo ou qualquer trabalho que o credencie. Em suma: já deu o que tinha que dar”.

Marcel Rizzo avisa: “É justo (pensar na demissão), mas a questão é: a CBF está preparada para contratar um técnico estrangeiro? Depois do sucesso de Jorge Jesus e Sampaoli, haverá pressão para isso, e não há um nome brasileiro que seria consenso – nem mesmo Renato Gaúcho, que fez o Grêmio jogar um bom futebol nos últimos anos. Meu palpite é que a CBF, sem opção, manterá Tite até o limite”.

André Rocha observa: “Ainda não é momento para esse tipo de avaliação (demissão). Melhor observar o comportamento em competição e com um grupo mais completo. Ou seja, no início das Eliminatórias. Uma espécie de “benefício da dúvida”, porque o desempenho nos amistosos depois da Copa América foi sofrível. Bem pior e mais preocupante do que os cinco jogos sem vitória”.

Camisa 10

Dono da camisa 10 da Seleção na conquista do pentacampeonato mundial, o ex-jogador Rivaldo não gostou de ver o número sendo utilizado por Lucas Paquetá na derrota do Brasil para a Argentina por 1 a 0, na última sexta-feira. Em post publicado no Instagram, Rivaldo criticou Tite pela decisão que, segundo ele, “poderia queimar o gatoto de 22 anos”.

Paquetá não teve bom desempenho no clássico contra a Argentina e foi substituído no intervalo da partida, que aconteceu na Arábia Saudita. A camisa 10 do Brasil normalmente é utilizada por Neymar, mas o craque do Paris Saint-Germain não foi convocado para esta data Fifa por conta de lesão muscular na coxa esquerda.

Voltar Todas de |

Compartilhe esta notícia:

Inquérito de Aécio sobre pagamentos que recebeu da JBS será enviado à Justiça Eleitoral
Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio vai a R$ 13,5 milhões
Deixe seu comentário
Pode te interessar