Últimas Notícias > Colunistas > Leandro Mazzini

Afinidades ideológicas

O grão tucano Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República. (Foto: Miguel Ângelo/CNI)

É o grão tucano Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República, quem puxa um discreto movimento interno para o PSDB fechar com o PT de Fernando Haddad – caso haja segundo turno e este passe à etapa eleitoral. João Dória Jr, que disputa o governo de São Paulo com chances e novo expoente do partido, e Geraldo Alckmin – que acredita ir para o 2º turno – são contra, assim como suas claques. O movimento por ora não passa de ideologia. A social democracia base das duas legendas nunca se afinou no Congresso Nacional, e por causa da disputa presidencial dos últimos anos. Mas nas hostes do tucanato, há quem aposte que o projeto de FHC pode dar certo.

Justificativa

FHC lembra a amigos que foi ele, em seu governo, que criou o Bolsa Gás e o Bolsa Escola, programa sociais que se fundiram no Bolsa Família de Lula da Silva.

Na moita

Trackings de grandes empresas e alguns partidos do Rio apontam que Jair Bolsonaro (PSL) tem praticamente 50% dos votos do Estado do Rio para a Presidência. A conferir.

Incômodo

Os ministros do STJ estão incomodados com o forte cheiro de urina nas sessões da Quinta Turma. Seria a incontinência urinária de um dos seus famosos togados. Saúde!

DEM dividido

O DEM – em especial seus caciques, que estão no Rio de Janeiro, Rodrigo Maia, nacional , e Eduardo Paes, local – está numa ‘rachado’. Não pode tomar partido. Paes, que lidera as pesquisas, é lulista e fechado com o PT local, e Maia tende a liberar a bancada federal e estadual para apoiar Bolsonaro num eventual segundo turno.

Detalhe

O Estado do Rio de Janeiro é o segundo maior colégio eleitoral do País, com mais de 14 milhões de eleitores, e pode ser o fiel da balança na disputa presidencial. Mas presidenciáveis não têm dado a devida atenção ao Estado.

Dilma bombada

Deposta da Presidência há dois anos, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) irá gastar 11 vezes mais que o concorrente e segundo lugar na corrida ao Senado por Minas, o jornalista Carlos Viana (PHS). A petista recebeu mais de R$ 4 milhões do Fundo de Financiamento de Campanha, destinado pela cúpula do PT – ela ainda tem prestígio.

Miúdo, mas forte

Já o conhecido radialista Viana recebeu R$ 300 mil do PHS e o restante é proveniente de doações de pessoas físicas. A recente pesquisa Datafolha para o Senado em Minas Gerais mostra Dilma com 29% das intenções de voto e Viana, com 14%.

Confiança demais

A ala otimista de parlamentares petistas aposta na vitória de Fernando Haddad já, acredite, no 1º turno da disputa, a despeito das pesquisas mostrarem números bem distantes. Haddad é tão confiante no avanço que já discute programa de ministérios e potenciais ministros. Copia Bolsonaro, que já elencou parte dos seus.

Governabilidade

Aliás, embora em baixa nas ruas – vejam nas redes sociais vídeos dos petistas candidatos em algumas capitais sem plateia – o PT espera formar maioria na Câmara e Senado. E contar com partidos aliados para derrubar a reforma Trabalhista.

Desconfiança fica

Deputados desconfiam da segurança das urnas eletrônicas e propõem leis com normas para fiscalizar e reintroduzir o impresso. Uma das propostas (PL 8080/14), da deputada Janete Capiberibe (PSB-AP), foi aprovada por unanimidade na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática. Propõe pelo menos dois registros impressos – um para o arquivo da urna, e outro para o eleitor. O TSE garante a lisura do aparelho.

Herança Temer

Sondagens do PSDB constaram que colou em Alckmin a imagem de aliado do Governo Temer – o partido chegou a ter 5 ministérios, mesmo com o presidenciável contrariado. Mas nada fez, como presidente da legenda. Adversários espalham que Alckmin avalizou as reformas polêmicas.

Baixo clero

Onyx Lorenzoni (DEM), cujo partido apoia Alckmin, é o coordenador da campanha de Bolsonaro no Congresso. (Foto: Ananda Borges/Câmara dos Deputados)

Há um movimento curioso a menos de duas semanas da eleição que tem ajudado Jair Bolsonaro nas bases eleitorais no interior. A frente suprapartidária de 110 deputados que ele lançou há mais de dois meses está atraindo aliados de Geraldo Alckmin (PSDB). São deputados do DEM, do PP, PR e outros partidos do Centrão que estão com o adversário tucano. Em suma, a cúpula dos partidos ficam com Alckmin, mas o ‘baixo clero’ está puxando para o candidato do PSL mais deputados federais antes cabos eleitorais de Alckmin. Onyx Lorenzoni (DEM), cujo partido apoia Alckmin, é o coordenador da campanha do capitão no Congresso.

Efeito no Rio

Movimento similar no Rio. Com a ascensão de Flávio, filho de Bolsonaro, líder para o Senado, candidatos de outras coligações pedem material dele para divulgar.

Tendências

Para um eventual segundo turno, caciques de Brasília já apostam em DEM liberando a bancada – boa parte para Bolsonaro – e PSDB, Solidariedade, PR e PRB com Haddad. Sim, PSDB com PT. É a social democracia, enfim, unida. A conferir.

Boca do povo

Nunca na história da publicidade do País o Posto Ipiranga teve propaganda espontânea tão popular como na deste ano com o bordão do candidato. Caiu na boca do povo.

Caravana 2.0

O ex-ministro e condenado na Lava-Jato José Dirceu, que percorre – de carro – há três semanas Estados do Sudeste e Nordeste do Brasil para lançar seu livro de memórias, desistiu de ir a Macapá e a Boa Vista, capitais que estavam no roteiro de sua caravana. Belém será a última parada da primeira. Depois descansa com a família. Está solto sob liminar do ministro Dias Toffoli, agora presidente do STF.

$antas Casas

O Conselho Curador do bilionário Fundo de Garantia do Tempo de Serviço salvou os hospitais das falidas Santas Casas de Misericórdia país adentro. Aprovou a criação de uma linha de crédito com recursos do FGTS e vai liberar R$ 956,4 milhões do orçamento do Fundo para as entidades beneficiadas, ainda este 2018.

Ôh, da emergência!

A taxa de juros será de 8,66% ao ano, com prazo de amortização de 5 a 15 anos. Muitos deputados e senadores batalharam pela verba. Agora, é esperar o resultado no atendimento…

Lá, como cá

O novo presidente do Paraguai copiou Michel Temer – quando assumiu pós-Dilma em 2016 – e colocou no primeiro escalão alguns enrolados com a Justiça de seu país.

Dieta do Poder

A grande maioria engorda em campanha comendo pastel na rua. Mas o candidato Henrique Meirelles (MDB) perdeu 5 quilos em um mês.

Escola OAB

O crescimento registrado pelo candidato ao Governo do DF Ibaneis Rocha (MDB) – ex presidente da seccional da OAB – nas pesquisas animou alguns aliados, que pleiteiam o cargo de secretários em eventual Governo. Um dos mais entusiasmados é Juliano Costa Couto, cujo período na presidência da OAB-DF está quase no fim.

Superstição

Engenheiro, administrador e compositor de sambinhas, Wagner Victer, ex-presidente da CEDAE e agora secretário da Educação do Governo do Rio, usa vez em quando um paletó azul claro como amuleto da sorte em homenagem a um ídolo, quando a situação aperta. É ‘benzido’ pelo Rei Roberto Carlos, seu amigo. Vai aos shows com o paletó.

Filho do peixe

Filho do ministro do STF Luiz Fux, Rodrigo Fux segue os passos do pai no Direito. Pegou um cliente tubarão. Sua High Level atende Ary Bergher e a Federação Israelita do Rio de Janeiro.

Datafolha

Sobre a lista de cidades onde houve pesquisadores, na última sondagem, que não apareceu ontem no site do TSE, o Datafolha informa que segue a regra de prazo para entrega – até o 7º dia da entrega para o registro – e que foi protocalada ontem no Tribunal.

Calote em série

Nos últimos quatro meses, o Brasil contabilizou calote de mais de R$ 1 bilhão em parcelas de empréstimos concedidos pelo BNDES para Venezuela, Cuba e Moçambique. (Foto: Agência Brasil)

Nos últimos quatro meses, o Brasil contabilizou calote de mais de R$ 1 bilhão em parcelas de empréstimos concedidos pelo BNDES para Venezuela, Cuba e Moçambique. Ao criticar o calote e “irresponsabilidade” dos governos do PT na concessão dos empréstimos, o deputado Fábio Souza (PSDB-GO) afirma que, se o dinheiro tivesse ficado no Brasil e investido em empreendedorismo, “a crise econômica que enfrentamos, que foi a maior de todos os tempos, teria sido amenizada”. O tucano é autor do projeto (7375/17) que proíbe o BNDES de conceder empréstimos para bancar empreendimentos no exterior.

Carteira assinada?

Lembra do ministro do Trabalho, Helton Yomura, ligado ao PTB e afastado pela PF do cargo? Ganhou um afago do Comitê de Ética da Presidência. Poderá trabalhar na praça.

Na reserva

Já o general da reserva Franklinberg de Freitas, que fez boa e honesta gestão à frente da Funai, terá de cumprir quarentena antes de ingressar no mercado.

Disse-me-disse

Paulo Guedes foi claro: estuda-se um imposto para substituir quatro. A similaridade com a CPMF é que incidiria sobre transações financeiras. Mas até explicar… virou fofoca

Onde foi?

A Datafolha de sondagem nacional divulgada ontem custou R$ 398 mil. Foi encomendada pela Folha de S.Paulo e por empresas do sistema Globo, inclusive pela Som Livre. Mas não entregou ao TSE o registro de cidades onde foi feita a pesquisa, conforme pesquisa no site do Tribunal ontem.

Turma do milhão

Já a última Ibope nacional, de terça-feira, custou R$ 289.441,61, encomendada pela TV Globo e pelo Estadão. O Ibope entrega ao TSE a lista de cidades pesquisadas. A Globo aposta alto. Numa nota só pagou ao Ibope R$ 3,97 milhões pelas sondagens nacionais e cenários nos Estados São Paulo, Rio de Janeiro, Minas, Pernambuco e Distrito Federal.

Como?!

O candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, assina com outros 12 deputados a autoria do PL 6055/13 que impede o SUS de atender integral e obrigatoriamente mulheres e vítimas de abuso sexual. Lei sancionada pela ex-presidente Dilma em 2013.

Radiografia

A proposta de Bolsonaro e dos colegas permanece paralisada na Mesa Diretora. Dados do Atlas da Violência de 2018 revelaram aumento de notificações de casos de estupro. Entre 2001 e 2016, o crescimento foi de 90,2%. A assessoria de Bolsonaro não respondeu a Coluna.

MDB já sabia

Pesquisas internas do MDB mostram ascensão meteórica de Haddad (PT), com 21% – pouco maior que o divulgado por Ibope e Datafolha, mas confirmando tendência.

Bancada 1

Caciques do PT apostam que a bancada federal em 2019 passará dos atuais 57 deputados, a despeito de Lula preso, da debandada de eleitos, e da crise de imagem.

Bancada 2

Grãos-tucanos já fazem as contas do número de eleitos para a Câmara com o derretimento de Alckmin nas pesquisas. Hoje são 46. Sonhavam mais que isso, mas se dizem satisfeitos se mantiverem esse patamar.

Lupa neles!

Reboliço na CNC. O procurador do Ministério Público junto ao TCU, Júlio Marcelo de Oliveira – o mesmo que reprovou as contas do Governo Dilma e abriu caminho para o impeachment – pediu a suspensão da eleição para a presidência e diretorias da CNC. Alguns dirigentes que concorrem à nacional e estaduais estão enrolados com a Justiça.

Enfim!

Está pronto para votação Senado projeto que obriga o detento a ressarcir o Estado das despesas com sua manutenção na cadeia. A proposta 580/15, do senador Waldemir Moka (MDB-MS), altera a Lei de Execução Penal e estabelece como obrigatório o ressarcimento, “independentemente das circunstâncias, e que, se não possuir recursos próprios, o apenado pagará com trabalho”.

ESPLANADEIRA

– Aniversariante de hoje, a cantora Hanna lança o clipe ‘Oba Lá Lá’, às 20hs, no Iate Clube Brasileiro, na Urca, Rio.

– Estreia merepresenta.org.br/eleitora, para eleitor buscar candidaturas alinhadas a direitos humanos.

– Professores das áreas de Biologia, Física, Química, Ciências e Matemática da rede pública podem inscrever seus projetos inovadores na 5ª edição do Prêmio Shell de Educação Científica.