Últimas Notícias > Colunistas > Leandro Mazzini

O que é isso, companheiros?

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Está tudo bem no Brasil, combustível a preço baixo, caminhões na pista, aviões no céu, nada de crise… só pode ser isso o que se passa na cabeça de dois diretores da Agência Nacional do Petróleo, que regula o setor, e que estão de férias. Um deles é o presidente Décio Oddone. E o diretor de Abastecimento, que verifica os postos, César Issa, mandou mensagem por whatsapp para colegas direto de Gramado (RS), cidade turística onde descansa. Comentou o óbvio: os postos estavam sem gasolina. Não avisou se voltaria a Brasília para trabalhar nessa calmaria. As férias deixam os companheiros enrubescidos. A assessoria da ANP informou que apesar de não estar presente, Oddone participa ativamente das discussões.


Logo ali

Brasileiros invadiram Ciudad Del Este, no Paraguai, na fronteira com Foz do Iguaçu (PR), para comprar combustível. Litro da gasolina nem passa de.. R$ 3,40.

Sofra, cidadão

A Caixa é uma mãe para o Comitê Olímpico Brasileiro. A recém-lançada loteria Dia de Sorte destina 1% da arrecadação mensal ao COB, mesmo investigado por corrupção.

MDB x DEM

Deputado Leonardo Picciani, presidente do MDB-Rio, articula aliança pelo Centro para apoiar um candidato ao Governo. Mas o projeto não passa por Eduardo Paes (DEM).

E agora, doutor?

Pré-candidato do Planalto à disputa presidencial, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles foi o idealizador e defendeu com unhas e dentes o decreto assinado pelo presidente Temer, em julho de 2017, que liberou o aumento os tributos – Pis/Cofins – sobre os combustíveis. Que causa, em parte, esse caos de hoje nos postos.

Ajuste Fiscal

À época, Meirelles alegou que o aumento dos tributos era “absolutamente necessário tendo em vista a preservação do ajuste fiscal e a manutenção da trajetória de recuperação da economia brasileira”.

Newtão Grill

O ex-governador Newton Cardoso, que manda em parte do MDB nacional, espera hoje 3 mil convidados na fazenda Rio Rancho em Pitangui – MG para comemorar 80 anos. Terá música e muito boi na brasa. Contratou Sidney Magal e Eduardo Costa para shows.

J.Hawilla

O empresário J. Hawilla, que morreu ontem em SP, de repórter de alambrado de campo passou a maior empresário de marketing esportivo do mundo. Ficou tão rico que comprou o time de Estoril, em Portugal. Há dois anos, era delator do FBI, pego no esquema de corrupção da FIFA/CBF. Ele gravou Ricardo Teixeira em Miami.

Preço da liberdade

Estava tão endinheirado que topou pagar US$ 151 milhões – coisa de meio bilhão de reais (!!) – para escapar da cadeia nos EUA. Dono da TV TEM (Globo) no interior paulista, também foi proprietário do Diário de S.Paulo, onde fazia questão de ser tratado como colega pelos repórteres, e não como dono.

Corrupção..

Relator do processo que investiga o presidente Michel Temer no Supremo Tribunal Federal, o ministro Roberto Barroso, sustenta que a corrupção “é produto de um pacto oligárquico e pluripartidário de saque a Estado brasileiro”.

.. e Refundação

Durante aula magna para plateia de ministros e conselheiros de tribunais de contas, acompanhada pela Coluna, Barroso reiterou as críticas ao sistema eleitoral e político, mas ponderou que o País passa por novo momento: “Poucos países tiveram a coragem de abrir suas entranhas como Brasil. É momento de refundação”, aponta o ministro.

Sem essa

O ministro Barroso é contra convocação de nova Assembleia Constituinte para qualquer assunto: “Há o risco de retrocesso em meio à polarização que vive o País”.

Ipiranga 1

Sobre a nota de ontem, do controle do mercado de combustíveis pela Petrobras, Shell e Ipiranga, a Plural, grupo de distribuidoras que também representa a Ipiranga, informa que não faz lobby na ANP e que as suas empresas “seguem as mesmas normas que todas as outras, sem distinção”. E que há “150 distribuidoras e o preço é livre”.

Ipiranga 2

Uma correção: A Braskem não é sócia da distribuidora, como citamos, mas comprou a parte de petroquímica do grupo Ipiranga há 10 anos. A Petrobras comprou parte da rede de postos da Ipiranga e a trocou para bandeira BR. A Ipiranga é controlada pelo grupo Ultra.

Distribuidora$

(Foto: EBC)

Petrobras, Shell e Ipiranga dominam mais de 70% de distribuição dos combustíveis no Brasil – e a petroleira também controla 90% da fabricação, daí definir preços que saem da refinaria e impactam nos postos. O trio de distribuidoras aumenta o preço até chegar às bombas de suas próprias redes – além de os postos ainda adicionarem centavos preciosos no valor final.

Cedendo ao lobby das três grandes, a ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) tem culpa na praça. O artigo 11 da Portaria 116 da ANP, de junho de 2000, vetou a comercialização de produtos de diferentes varejistas nas bombas. Até 1998, os postos podiam comprar de várias distribuidoras, escolhendo a que fizesse melhor preço. Agora, o poderoso trio controla o mercado e o preço. Aos holofotes, as empresas silenciam sobre o assunto.

Poder da bomba

Em 2017, a Shell, a Ipiranga e a Petrobras venderam quase 100 bilhões de litros de combustíveis em seus 25 mil postos no País.

Tudo em casa

O negócio é tão lucrativo que as empresas se confundem. A Ipiranga é propriedade do consórcio entre Petrobras, Ultra e Braskem – a petroquímica dos Odebrecht.

Do seu bolso

Só a Petrobras, a Shell e a Ipiranga faturaram ano passado, juntas, perto de R$ 172 bilhões com a venda de combustíveis. O lucro líquido das três ultrapassou R$ 7,4 bilhões.

Segredo do cartão

O tempo promete ficar carregado na CPI dos Cartões de Crédito. Sem resposta concreta até agora para a cobrança abusiva de juros por parte das operadoras, o presidente da comissão, senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), vai pedir a quebra de sigilo bancário e telefônico dos principais representantes do setor.

Brasil-Paraguai

A interface do governo brasileiro com o do Paraguai é tamanho que o presidente eleito paraguaio, Mario Abdo, o “Marito”, nem tomou posse e já teve agenda oficial com o chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) do Planalto, general Sérgio Etchegoyen. O xerife do governo federal ajudou o atual presidente, Horacio Cartes, a criar o serviço secreto do país hermano.

Choro de Azeredo

Tucanos próximos do ex-governador mineiro Eduardo Azeredo insistiram para que trocasse de advogado em seu processo, mas o tucano só o fez às portas do camburão. Azeredo se sente injustiçado. Talvez porque só ele foi condenado em um esquema no qual não agiu sozinho.

Procura-se

Senhor Walfrido dos Mares Guia, coordenador da campanha de reeleição de Azeredo em 1998: ele precisa de seu apoio moral. Cadê você?

Escolha de Meirelles

Um vídeo de três minutos que circula nas redes sociais, mostrando um lado mais humano e menos técnico do ex-ministro Henrique Meirelles, marca a estréia do marqueteiro escolhido a dedo pelo candidato. Trata-se de Chico Mendez, que trabalhou para Henrique Caprilez na Venezuela e elegeu Fernando Pimentel em Minas.

Termômetro

Semanas antes do anúncio oficial da pré-candidatura de Meirelles, o presidente Michel Temer e a cúpula do MDB consultaram representantes dos bancos e da indústria para sondar a aceitação ao nome do ex-ministro.

Surpresa

Emedebistas ficaram surpresos ao descobrir que alguns empresários citaram Nelson Jobim como opção para o Palácio do Planalto. A pesquisa informal animou o partido a sondar Jobim para assumir a coordenação da campanha de Meirelles. Resta saber se o ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) abrirá mão do pró-labore como sócio do banco BTG Pactual.

CIA…

A senadora Regina Souza (PT-PI) defende “o aprofundamento da apuração dos fatos e documentos” revelados pela CIA (Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos) sobre a tortura e assassinatos no Brasil durante o regime militar.

… e Comissão da Verdade

A parlamentar preside a Comissão de Direitos Humanos, que realizou um debate sobre o assunto com a participação do ex-presidente da Comissão Nacional da Verdade Cláudio Fonteles, da ativista Iara Xavier, da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos e do jornalista e pesquisador Eumano Silva.

Jornalismo chora

O Brasil perdeu dois grandes jornalistas. Partiram Ramiro Alves e Manuel Borges Neto. Ambos moravam no Rio de Janeiro. E foram referências para suas gerações, como “professores de redação”, pela vasta experiência. A Coluna se solidariza às famílias e colegas.

Trio x Meirelles

Colegas do MDB são contra a candidatura de Henrique Meirelles à Presidência. (Foto: Agência Brasil)

Dentro do MDB, os senadores Renan Calheiros, de Alagoas, Roberto Requião, do Paraná, e o presidente do Senado, Eunício Oliveira, Ceará, são contra a candidatura de Henrique Meirelles ao Palácio do Planalto. Não por mera rivalidade interna com o presidente Michel Temer. O trio já tem acordo avançado em seus redutos com o PT, que ajudará em palanques locais. É questão de sobrevivência. Os mandatos de Renan, Eunício e Requião terminam este ano e eles tentarão a reeleição com apoio de petistas. Paraná e Ceará são colégios eleitorais que pesam na votação nacional.

Gaiola dos loucos

Tem tucano na gaiola. O ex-governador Eduardo Azeredo, que escreve memórias, como revelamos, pode mudar da literatura para um desabafo de delação, suspeitam aliados.

Rede feminina

Com bons índices nas pesquisas, Marina Silva (Rede) baixa em Brasília no sábado para anunciar a lista de 12 mulheres do DF que vão concorrer para deputadas.

Ligados na tomada

Alheio ao adiamento da privatização da Eletrobras, um poderoso grupo chinês procura pequenas hidroelétricas Brasil adentro, para compra à vista. E paga bem.

MP Curto-Circuito

Os deputados e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, não fazem jogo duro sem motivos sobre a MP que privatizava a Eletrobras, que vai a arquivo. Em ano de eleição, todo cuidado é pouco com o povo atento. Pesquisa online feita pelo Senado revela que a sociedade rechaça a privatização. Mais de 4 mil internautas se mostraram contra a MP, enquanto pouco mais de 300 apoiam a proposta, segundo dados desta quarta.

Frente x Fake News

O deputado Márcio Marinho (PRB-BA) irá coordenar a Frente Parlamentar Mista de Enfrentamento às Fake News recém-lançada. “As notícias falsas causam prejuízos à verdade dos fatos e à liberdade de expressão”, justifica.

Look do dia

O deputado Marquezelli (PTB-SP) divulgou vídeo sentado à mesa, com camisa e gravata impecáveis, e bela mensagem de apoio aos caminhoneiros. Mas o tampo do vidro da mesa – e o enquadramento mal feito na câmera – o revelou de cueca samba canção.

Confira

A Coluna divulgou em primeira mão no Twitter e Facebook. O deputado jura que sabia que o cuecão apareceria, mas não se intimidou. Tá bom…

Na praia

Uma grande empresa de entretenimento internacional iniciou contato com a Prefeitura de Angra dos Reis para se instalar na cidade. Promete impulso no turismo e economia.

Fator Dodge

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, não cede às pressões – interna e externa – e mantém em marcha lenta a análise dos pedidos de acordo de delações premiadas que chegam ao Ministério Público Federal.

Ritmo

Em oito meses à frente da PGR, Dodge enviou apenas duas delações ao STF para homologação. Ritmo bem diferente do antecessor, Rodrigo Janot, que conduzira os acordos com celeridade – às vezes, em excesso. Assessoria da PGR limita-se a informar que a análise das delações é protegida por sigilo.

Na trave

O carioca Miro Teixeira tem alma de mineiro. Indagado como anda a costura de alianças da colega Marina Silva (Rede) para a disputa presidencial, o deputado despista: “Falar em aliança agora é fora da realidade; agora é hora de trocar figurinha da copa”.

Turma da Energia

Pela primeira vez um brasileiro vai comandar a Associação Iberoamericana dos Reguladores de Energia. É o diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica André Pepitone da Nóbrega. A entidade privada reúne 27 organismos reguladores de energia.