Últimas Notícias > Capa – Você viu > Músico que coletava sons da natureza é morto por urso

Exclusivo: Maicon comenta apoio aos jogadores da base gremista e revela desejo para o futuro

Desejo é fazer a gestão da base gremista. (Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

*Por Bárbara Assmann

Que criança nunca sonhou em ser um craque da bola? Com o capitão gremista Maicon não foi diferente. Ele conseguiu realizar o desejo e ainda se tornou o faixa de uma das maiores equipes do Brasil. O volante já passou por todas as etapas e sabe como é difícil. Por conta disso, na equipe tricolor, ele é conhecido como um líder até dos meninos da base, ajudando na transição destes jogadores. 

“Acho importante passar confiança para os meninos que estão subindo. Até para eles chegarem ali e desenvolverem o futebol deles. É muita cobrança no início. Eu procuro passar tranquilidade para que eles possam chegar ali e jogar”, afirma. 

Orientações? Nunca faltaram. Mas a semana é de decisões, a qual Maicon revela ser difícil: “uma final.” É torcedor… o primeiro jogo da semifinal da Copa do Brasil se aproxima e o “capita” garante: “Enquanto tivermos chance vamos lutar até o fim.”  Ele afirma que o grupo que está acostumado a vencer. “Nosso pensamento é sempre ganhar, só assim nosso nome ficará marcado no clube”, destaca.

E um possível Gre-Nal na final? Maicon garante que o objetivo é chegar lá e que não costuma ficar escolhendo adversários. “São grandes equipes que estão brigando”, afirma. 

Ao falar da equipe do Grêmio, ele confessa: “ O Grêmio abriu as portas”, afirmando que o que viveu e o que vive ficará marcado para sempre em sua memória. “Sou realizado. Quero ser campeão outras vezes e ter meu nome na história”, demonstrando seu respeito pelo clube. 

Já para um futuro próximo, o volante revela que tem vontade de permanecer no clube como um gestor da base. “Tenho vontade de fazer, é importante ter uma referência dentro do clube.” Seu desejo é facilitar o trabalho dos meninos da base, passando confiança. Porém, isso deverá acontecer mais para frente: “Quero jogar mais uns três anos”, conclui. 

 

*Estagiária sob supervisão de Marjana Vargas 

 

Deixe seu comentário: