Últimas Notícias > Atividades Empresariais > All Stars: Outback apresenta estrelas do seu menu em novas versões

Pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores, o Inter perdeu por 2 a 0 para o Flamengo no Maracanã

Para o Inter avançar, tem que vencer por três ou mais gols de diferença. (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)

Em um Maracanã com 60 mil torcedores, Inter e Flamengo se enfrentaram pela partida de ida das quartas de final da Libertadores, na noite desta quarta-feira (21). Pior para o Colorado, que viu Bruno Henrique marcar duas vezes e sacramentar a vitória do time da casa por 2 a 0.

Com uma marcação muito competente na maior parte do jogo, o time gaúcho conseguiu segurar o empate, mas depois dos 30 minutos do segundo tempo, o Flamengo furou o bloqueio e conseguiu marcar dois gols praticamente em sequência.

Primeiro tempo

O Flamengo começou a partida trocando  muitos passes. Já o Internacional, por conta disso, estava muito bem postado na defesa.

A equipe carioca trabalhava muito a recuperação rápida de bola. A primeira finalização aconteceu aos oito minutos. Everton Ribeiro arriscou um chute de fora da área e obrigou Marcelo Lomba a espalmar para o lado. Mas o Inter se fechava e dificultava o ataque adversário.

Quando atacava, o Flamengo levava perigo. Aos 18, Bruno Henrique encheu o pé de fora da área, fazendo Marcelo Lomba brilhar novamente. A posse de bola era toda carioca, com isso, o Inter continuava todo em sua defesa. O Colorado não conseguia segurar a bola e tinha dificuldades para chegar ao ataque e finalizar.

A partir dos 25, as duas equipes não levaram mais perigo aos goleiros: o Inter não atacava, mas marcava muito, fazendo com que o Flamengo também não tivesse sucesso. Porém, aos 40, o Colorado teve a primeira chegada com perigo. Sóbis recebeu a bola no ataque, dominou e recuou para D’Alessandro, que arriscou um chute de longe, que foi para fora.

Segundo tempo

Os primeiros minutos da segunda etapa não mudaram em relação a primeira. O cronômetro marcava 10 minutos e nenhuma chegada com perigo, mas a marcação colorada estava mais adiantada. A partir daí a equipe carioca passou a enfrentar mais dificuldades para chegar ao ataque.

Odair Hellmann esperou os primeiros minutos para promover a primeira mudança na sua equipe. Entrou Wellington Silva no lugar de Sóbis. Depois, também tirou D’Alessandro para colocar Nico López.

O Flamengo tentava de todas as maneiras, e o Inter era muito organizado defensivamente mas, aos 30 minutos, Bruno Henrique abriu o placar para o time da casa, para delírio dos 60 mil torcedores presentes no Maracanã.

Cuesta até conseguiu tirar a bola, mas ela acabou sobrando para Gerson, que conseguiu tirar do zagueiro e de Marcelo Lomba e deixou Bruno Henrique sem goleiro para marcar o gol.

Não demorou muito para vir o segundo. Aos 33, Bruno Henrique, mais uma vez, recebeu de Gabigol na entrada da área e chutou no canto de Marcelo Lomba.

O Inter acabou sentindo muito os gols, o que resultou em um momento de desconcentração da equipe. Neste momento, por pouco o time carioca não marcou o terceiro. Gabigol recebeu um cruzamento e furou na frente do gol.

Nos acréscimos, o Inter quase marcou o seu. Nico López invadiu a área, cortou Rodrigo Caio e bateu rasteiro buscando o canto. A bola saiu à esquerda de Diego Alves. Até houve uma maior pressão colorada, mas não deu tempo para descontar.

No jogo da volta, na próxima quarta-feira (28), no Beira-Rio, o Flamengo pode perder até por 1 a 0 que fica com a vaga nas semifinais. Para o Inter avançar, tem que vencer por três ou mais gols de diferença. Se o placar se repetir em favor dos colorados, a decisão vai para os pênaltis.

Antes desse confronto pela competição sul-americana, o Inter joga com o Goiás, no domingo (25), às 16h.

Ficha técnica

Flamengo: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Cuéllar, Arão, Éverton Ribeiro (Berrío) e Arrascaeta (Gerson); Gabigol e Bruno Henrique (Piris da Motta). Técnico: Jorge Jesus.

Internacional: Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenílson (Guilherme Parede), Patrick e D’Alessandro (Nico López); Rafael Sóbis (Wellington Silva) e Paolo Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.

Arbitragem: Roberto Tobar (CHI), auxiliado por Christian Schiemann (CHI) e Claudio Ríos (CHI).

VAR (árbitro de vídeo): Julio Bascuñán (CHI).

Deixe seu comentário: