Últimas Notícias > Atividades Publicitárias > SPR comemora 22 anos descommoditizando

Ministério Público encaminha denúncia contra mulher que jogou água em moradora de rua, em Esteio

Caso ocorreu no centro de Esteio. (Reprodução vídeo)

O Ministério Público do Rio Grande do Sul instaurou uma notícia fato, procedimento anterior ao inquérito civil, contra a mulher que jogou um balde de água em uma moradora de rua em Esteio, região metropolitana de Porto Alegre.

Segundo a promotora de Justiça do município, Camila Cunha, o MP recebeu a denúncia através da Ouvidoria do órgão e de uma cidadã anônima.  A denúncia foi encaminhada para a Delegacia de Polícia e também foram solicitados esclarecimentos à Prefeitura de Esteio sobre as medidas que estão sendo tomadas em relação a situação dos moradores de rua.

O vídeo que mostra o ato circula pelas redes sociais e gerou polêmica nesta semana, repercutindo em todo o estado. Nas imagens, uma mulher é vista jogando água em cima de uma moradora de rua e mandando que ela saia do local onde está. A situação foi gravada por uma terceira pessoa que não intercede durante a ação. A vítima, que aparece deitada sobre papelões, recolhe seus poucos pertences e sai.

(Reprodução Facebook)

O espaço onde ocorreu a situação fica localizado ao lado da QI Faculdade & Escola Técnica na avenida Presidente Vargas, no centro do município. A mulher que pratica a ação, seria uma funcionária da empresa de alarmes terceirizada que atendia a instituição de ensino, conforme a diretora das Escolas Técnicas QI, Patrícia Cardoso.

Patrícia afirmou ao O Sul que ficaram sabendo dos fatos na noite de terça-feira (14), pela internet, e rescindiram o contrato com a empresa na manhã desta quarta (15). “Ficamos chocados com o grau de desumanidade e de desrespeito”, destaca ela. A gestora ainda afirma ter conversado com a moradora de rua, que se chamaria Graziela.

Após diversas críticas nas redes sociais, a mulher que teria jogado água em Graziela tentou se explicar em um grupo de Whatsapp, afirmando que estava apenas cumprindo ordens, pois já haviam ocorrido arrombamentos no local.

(Reprodução Whatsapp)

Porém, A diretora da QI destacou que, desde que a empresa está ali, há seis meses, não houve nenhuma ocorrência de invasão, tentativa de roubo ou outro caso semelhante. Ainda no Whatsapp, uma outra integrante do grupo não aceitou a justificativa da mulher e respondeu: “Eu ia demitida, mas nunca faria isso a alguém”.

A pessoa que aparece jogando água na moradora de rua no vídeo e a empresa de segurança a qual ela pertencia foram procuradas pela produção do portal O Sul, mas não retornaram até a publicação desta matéria.

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário: