Últimas Notícias > Capa – Você viu > Confira a programação de shows com entrada franca durante os nove dias de Expointer

Você está cuidando do seu estômago do jeito certo?

Alimentação, hábitos e estresse podem prejudicar o estômago. (Foto: Reprodução)

O estilo de vida das pessoas pode impactar a saúde do estômago. Há quem transforma em hábito pular o café da manhã porque acordou atrasado para o trabalho. A geladeira é cheia de alimentos industrializados para ganhar tempo no preparo de refeições, sem preocupação com a composição de produtos que tem baixo valor nutricional e ingredientes que agridem o estômago. Sem mencionar o excesso de açúcar, frituras, café, cigarros e bebidas alcoólicas e o estresse. Quase tudo o que é incorporado ao estilo de vida hoje tem potencial para afetar as condições do estômago. Confira se você está cuidando do seu estômago da maneira correta.

Alguns dos sintomas desse descuido frequente: azias; queimação; náuseas; dores provocadas por indigestão; acidez; gases. Esses sintomas podem revelar problemas mais sérios.

Intolerância alimentar

Costuma ter origem na ausência de enzimas necessárias para a digestão de algum tipo específico de alimento. As intolerâncias mais comuns estão relacionadas com a lactose, que é o açúcar encontrado no leite e o glúten, uma proteína do trigo.

Gastrite

Um desequilíbrio no PH gástrico, geralmente causado pela bactéria H Pylori que provoca inflamação as mucosas da parede do estômago. É necessário um rigoroso acompanhamento médico.

Refluxo

Por diversas razões a válvula do esôfago pode perder a capacidade de abrir e fechar a conexão com o estômago. Dessa forma o alimento ingerido, envolvido nos ácidos que atuam na digestão retornam à região do esôfago, provocando azia e queimação. Se não tratado adequadamente pode provocar úlceras e aumentar as chances de câncer no esôfago.

Como cuidar bem do seu estômago

1. Mastigue bem os alimentos

Triturar bem os alimentos pode tornar a digestão mais rápida e eficiente.

2. Prefira fibras

O consumo de alimentos ricos em fibras ajuda a prevenir prisão de ventre e inflamações abdominais.

3. Evite alimentos quentes demais

O excesso de calor no trato digestivo é capaz de irritar o estômago, aumentar a acidez e as chances de refluxo.

4. Bebidas

Evite beber durante as refeições e controle o consumo excessivo de álcool e cafeína.

Tratamentos

Se boa parte desses hábitos pouco saudáveis não forem reduzidos aumentam as chances de ocorrência de gastrites e úlceras.

Quem convive com esses sintomas gástricos indesejáveis por muito tempo acaba por receber a prescrição de tratamentos à base de antibióticos e inibidores de secreção ácida, conhecidos como Prazóis.

O problema é que a longo prazo esses medicamentos podem levar a uma dependência e até prejudicar a saúde.

Como os prazóis reduzem o pH do estômago de forma drástica, a digestão de alimentos que necessitam de um ambiente mais ácido pode ficar comprometida.

Em outras palavras, alguns tratamentos convencionais podem, com o passar do tempo, resultar em outros problemas gástricos.

Atualmente existem alternativas de tratamento preventivo. É o caso do StomaZinc, complexo mineral 100% natural que leva zinco e o peptídeo L-carnosina que tem a propriedade de prevenir lesões na mucosa gástrica, promover a cicatrização de úlceras e ainda, inibir o crescimento da bactéria H.pylori.

A formulação de StomaZinc seria mais eficiente devido à ligação química dos seus componentes permitir uma ação gradual que prolonga os efeitos de proteção da mucosa gástrica. As informações são do portal G1.

Deixe seu comentário: