Sábado, 25 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil A expectativa de inflação dos consumidores brasileiros recuou em fevereiro

Compartilhe esta notícia:

Na comparação com o mesmo período do ano anterior, houve redução de 0,5 ponto percentual. (Foto: Divulgação)

Em fevereiro, a expectativa dos consumidores brasileiros para a inflação nos 12 meses seguintes recuou 0,1 ponto percentual em relação a janeiro, para 4,9%, o menor valor desde julho de 2007 (4,8%). Na comparação com o mesmo período do ano anterior, houve redução de 0,5 ponto percentual. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (21) pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

“A estimativa mediana de inflação projetada pelos consumidores para os próximos 12 meses vem diminuindo nos últimos quatro meses, após o período eleitoral. As expectativas mais favoráveis, isto é, de uma inflação mais baixa vem sendo influenciada pelo maior otimismo dos consumidores com relação à situação econômica do País e redução de incertezas. A tendência nos próximos meses é que esse resultado se torne mais estável ou com pequenas variações, considerando o ritmo gradual de recuperação da economia”, afirmou Viviane Seda Bittencourt, coordenadora da Sondagem do Consumidor, da FGV/IBRE.

Analisando a frequência da inflação prevista considerando faixas, a parcela dos consumidores que projetam valores dentro dos limites de tolerância (2,75% a 5,75%) da meta de inflação estabelecida para 2019 diminuiu de 61,4% em janeiro para 60,5% em fevereiro.

Ainda assim, isso mostra que grande parte dos consumidores mantêm as suas expectativas ancoradas. A proporção de consumidores projetando valores no limite inferior (2,75%-4,25%) subiu 0,3 ponto percentual, para 40,4%, enquanto a parcela dos que esperam uma inflação dentro do limite superior (4,25%-5,75%) diminuiu de 21,3% para 20,1%.

Na análise por faixas de renda, observamos que a queda de fevereiro foi influenciada pelas famílias com renda mensal até R$ 2.100. Para esses consumidores, a expectativa de inflação para os próximos 12 meses diminuiu 0,7 ponto percentual, para 5,4%. Nas demais faixas de renda, as expectativas se mantiveram estáveis.

IPC-S

A inflação medida pelo IPC-S (índice de Preços ao Consumidor – Semanal) recuou em seis das sete capitais pesquisadas, entre elas Porto Alegre, na segunda semana de fevereiro, de acordo com dados divulgados na terça-feira (19) pela FGV.

Na Capital gaúcha, a inflação para o consumidor registrou variação de -0,09% no período. O resultado foi 0,32 ponto percentual inferior ao registrado na semana anterior. Nesta edição, sete das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram desaceleração em suas taxas de variação em Porto Alegre, entre as quais se destacam os grupos Educação, Leitura e Recreação e Vestuário, cujas taxas passaram de -0,41% para -2,64% e de -0,41% para 1,02%, respectivamente.

O IPC-S também caiu em Salvador (de 0,33% para 0,12%), Brasília (de 0,21% para 0,03%), Belo Horizonte (de 0,81% para 0,60%), Rio de Janeiro (de 0,50% para 0,40%) e São Paulo (de 0,83% para 0,61%). Apenas Recife apresentou aceleração, com a taxa passando de 0,51% para 0,59%, segundo a FGV.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Saiba o que muda na aposentadoria por invalidez na reforma da Previdência
O papa pediu medidas concretas para combater os abusos sexuais na Igreja Católica
Deixe seu comentário
Pode te interessar