Quinta-feira, 09 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Brasil A foto em que o agressor de Bolsonaro aparece ao lado de Lula é montagem

Rosto do agressor foi inserido em foto artificialmente. (Foto: Reprodução)

A imagem que coloca o agressor do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) próximo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é uma montagem. O material manipulado digitalmente foi compartilhado em redes sociais, inclusive pelo senador Magno Malta (PR-ES), que apagou a publicação.

Apoiador de Bolsonaro, Malta postou a imagem enganosa no Twitter e escreveu “Olha em que time joga o marginal” (sic).

Na montagem, o rosto de Adélio Bispo de Oliveira foi inserido na foto em que Lula aparece ao centro, ladeado pelos senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente do Partido dos Trabalhadores, entre outros apoiadores.

Um círculo vermelho, também inserido digitalmente, destaca o rosto de Adélio, o homem que atacou Bolsonaro na tarde da última quinta-feira (6) em Juiz de Fora (MG).

Como verificado pelo projeto Comprova, coalizão de 24 organizações de mídia brasileiras, que visa identificar, checar e combater rumores, manipulações e notícias falsas sobre as eleições de 2018, a foto original foi feita em maio de 2017 por Ricardo Stuckert, do Instituto Lula.

Na ocasião, Lula prestou depoimento ao juiz Sérgio Moro, em Curitiba. A foto já foi reproduzida no site do PT, em portais e jornais. Um homem de óculos escuros aparece originalmente no lugar onde o rosto de Oliveira foi inserido digitalmente na última quinta.

A localização e a identificação da foto original são possíveis com ferramentas de busca reversa de imagem, como o TinEye.

Usuários da rede comentaram no tuíte de Magno Malta que aquilo se tratava de uma montagem. O senador acabou apagando a publicação ainda na quinta, mas o Comprova recuperou a imagem usando o WayBack Machine, uma ferramenta que permite arquivar conteúdos mesmo depois de removidos da internet.

Antes de ser apagada, a postagem do parlamentar já tinha sido retuitada 1.267 vezes. A conta @HelioNogueiraTV também tuitou a foto acrescentando que Adélio é filiado ao PT, o que é falso.

De acordo com dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Adélio Bispo de Oliveira foi filiado ao PSOL entre 2007 e 2014. Ele não tem filiação partidária no momento, informação que pode ser verificada no site Filiaweb, mantido pelo tribunal.

O general Hamilton Mourão (PRTB), candidato a vice de Bolsonaro vinculou Oliveira ao PT. Em nota, ele disse que o ataque foi feito “por um militante do Partido dos Trabalhadores”.

O jornal Folha de S. Paulo e as agências Aos Fatos e Lupa e o portal Congresso em Foco estão entre as que apontaram que a imagem do agressor próximo a Lula é uma montagem.

Mais imagens e fake news

Um outro caso, referente ao mesmo dia, mostrou a guerra das notícias falsas acontece em todas as trincheiras. Por volta das 19h50min, começaram ser compartilhadas fotos e vídeos de Bolsonaro sorridente ao lado de enfermeiros e médicos, vestindo a mesma camiseta amarela que usava ao ser atacado e distribuindo abraços pelos corredores de um hospital em Juiz de Fora. As imagens passaram a ser vistas como prova de que o esfaqueamento jamais havia acontecido.

Mas a verdade é que, naquela manhã, o candidato tinha estado em um hospital filantrópico da Associação Feminina de Prevenção e Combate ao Câncer da cidade mineira. As fotos e gravações tinham sido feitas, portanto, horas antes do esfaqueamento e estavam sendo espalhadas fora de contexto.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

A gasolina e o diesel ficam mais caros nos postos do País
A companhia aérea British Airways pediu desculpas após admitir o roubo dos dados de seus clientes
Deixe seu comentário
Pode te interessar