Sábado, 17 de Abril de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Mostly Cloudy

Mundo A Moderna fez um acordo para vender 80 milhões de doses de vacina à União Europeia

Compartilhe esta notícia:

No momento, as vacinas contra o novo coronavírus feitas pela farmacêutica americana só podem ser aplicadas em adultos. (Foto: Reprodução)

A farmacêutica Moderna anunciou uma parceria com a Comissão Europeia para a venda de 80 milhões de doses de sua vacina à União Europeia em 2021. O acordo permite à Comissão uma opção para a compra de mais 80 milhões de doses, podendo totalizar 160 milhões de doses em 2021.

As ações da empresa estava em alta de 0,90% no pré-mercado da Nasdaq, negociadas a US$ 99,50, por volta de 9h20 desta quinta. A Moderna divulgou no último dia 16 que sua vacina contra covid-19 (mRNA-1273) apresentou eficácia de 94,5% nos estudos clínicos de fase 3.

A empresa americana, com sede em Cambridge, no Estado de Massachussetts, já anunciou um acordo semelhante com o Reino Unido. A empresa afirmou também que mantém a projeção de produção de 500 milhões a 1 bilhão por ano a partir de 2021.

Na Europa, a Moderna está trabalhando com seus parceiros em Lonza, na Suíça e Rovi, na Espanha, para fabricação da vacina fora dos Estados Unidos. Esta é uma cadeia de suprimentos dedicada para apoiar a Europa e outros países, exceto os Estados Unidos, que firmam contratos de compra com a empresa.

Se as aprovações forem concedidas, a Moderna espera começar a fornecer a vacina para a União Europeia a partir de dezembro de 2020.

A vacina da Moderna foi desenvolvida com base em RNA, que contém instruções genéticas para a construção da proteína do coronavírus, conhecida como spike, que quando injetada nas células, faz com que elas produzam as proteínas spike, que são liberadas no corpo e provocam uma resposta imunológica.

A vacina da Moderna pode ficar armazenada por seis meses a uma temperatura de 20 graus celsius negativos e até 30 dias em condições normais de refrigeração, entre 2 e 8 graus celsius.

Expectativa

A presidente da Comissão Europeia (CE), Ursula von der Leyen, admitiu nesta que a expectativa é iniciar a vacinação contra o novo coronavírus em cidadãos dos países que integram a União Europeia (UE) no próximo mês. “Os primeiros europeus poderiam estar vacinados no início de dezembro”, indicou a líder do Executivo do bloco continental. “Os primeiros europeus poderiam estar vacinados no início de dezembro”, indicou a líder do Executivo do bloco continental.

A comissária de Saúde da CE, Stella Kyriakides, lembrou ainda que existe um passo burocrático antes do início das campanhas de imunização, que é o pedido de autorização das farmacêuticas junto a Agência Europeia de Medicamentos (EMA), o que ainda não ocorreu.

“A presidente Von der Leyen disse que poderíamos começar a vacinar no final de dezembro. Estamos à espera de quando as várias empresas submeterão os relatórios de avaliação para a EMA”, explicou a representante sanitária da Comissão Europeia.

Na semana passada, a CE havia apontado que a expectativa é que as primeiras companhias, no caso a Pfizer e a Moderna, solicitassem as autorizações para iniciar a comercialização das respectivas vacinas na União Europeia em meados de dezembro.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Mais quatro estudantes entre 13 e 14 anos são indiciados pela decapitação de professor francês
A Alemanha pode ter vacinas contra o coronavírus disponíveis antes do Natal, diz Angela Merkel
Deixe seu comentário
Pode te interessar