Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Brasil A secretaria de Saúde liberou o futebol em Santa Catarina. O Campeonato Catarinense será retomado nesta quarta

Compartilhe esta notícia:

A última partida ocorreu em 15 de março. (Foto: Patrick Floriani/FCF)

A retomada do Campeonato Catarinense foi autorizada pelo Governo de Santa Catarina no decreto publicado na última segunda-feira (6). Assim, a competição terá reinício nesta quarta, 8 de julho, quase quatro meses após a paralisação em razão da pandemia de coronavírus – a última partida ocorreu em 15 de março.

Na portaria nº466, assinada pelo secretário de Estado da Saúde André Motta Ribeiro, fica estabelecido a autorização dos jogos, mas com regras sanitárias que devem ser cumpridas pelos clubes envolvidos e a Federação Catarinense de Futebol (FCF) para evitar a contaminação.

As partidas das quartas de final e também contra o rebaixamento serão realizadas sem a presença de público como medida de segurança. Além disso, é proibida a aglomeração de torcedores ao redor aos estádios que recebem os confrontos.

A portaria cita ainda que “todos os atletas e trabalhadores devem ser submetidos à avaliação antes de cada treino e jogo”.

Os duelos

O Avaí terminou a primeira fase do Catarinense na liderança, seguido de Brusque, Figueirense, Marcílio Dias, Criciúma, Juventus, Joinville, Chapecoense, Concórdia e Tubarão – os dois últimos disputam o mata-mata da degola. Confira os confrontos das quartas de final: Avaí x Chapecoense, Brusque x Joinville, Figueirense x Juventus e Marcílio Dias x Criciúma.

Pico

O secretário de Saúde, André Motta Ribeiro, disse nesta terça (7) que não há sinalização de que Santa Catarina tenha chegado ao pico da pandemia. Em entrevista ao Bom Dia Santa Catarina, Ribeiro falou ainda sobre a adoção de medicamentos supostamente preventivos adotados por prefeituras no combate ao coronavírus.

“Nós desconhecemos qualquer tipo de tratamento preventivo, a não ser isolamento social e etiqueta respiratória”, disse Ribeiro.

O secretário de Saúde destacou que os protocolos clínicos instituídos pelos gestores públicos devem ter a chancela de órgãos regulamentadores, mas disse que notas técnicas orientativas “podem e devem ocorrer”.

Ele disse ainda que os pacientes com suspeita de Covid-19 precisam ser diagnosticados corretamente, monitorados e destacou que cada paciente apresenta um quadro individual.

“Apesar de nós termos alguns locais mostrando ter benefício com algum tipo de abordagem, o fundamental disso é que a decisão é do médico, do paciente. Mas até esse momento, não existe nada cientificamente comprovado para a prevenção”, afirmou.

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Planos de saúde no Brasil perdem 283 mil clientes em dois meses
O novo presidente do Conselho de Secretários diz que a gestão do Ministério da Saúde no combate ao coronavírus foi muito ruim até agora
Deixe seu comentário
Pode te interessar