Sexta-feira, 18 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Fair

Rio Grande do Sul A taxa de ocupação de UTIs para pacientes adultos de coronavírus chegou a 100% em Pelotas

Compartilhe esta notícia:

Após capacidade "bater no teto", prefeita anunciou dez novos leitos e pediu "lockdown voluntário". (Foto: Rodrigo Chagas/Prefeitura de Pelotas)

No começo desta quinta-feira (13), a prefeitura de Pelotas (Região Sul) confirmou que a taxa de ocupação de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para atendimento de pacientes adultos de coronavírus “batido no teto”, com 100% de seus 30 leitos desse tipo em utilização na cidade. À tarde, esse número baixou para 29, de acordo com boletim diário publicado no site oficial do município.

A cidade conta, ainda, com cinco estruturas em âmbito pediátrico, quatro das quais permaneciam vagas.

Devido à lotação esgotada, a Secretaria Municipal de Saúde providenciou a inclusão do nome de pacientes de Covid-19 em lista do Cadastro de Gerenciamento de Internações fornecida pelo governo do Estado. Na prática, isso significa que os pelotenses que necessitarem de UTI por causa da doença terão que ser atendidos em outros municípios ou mesmo regiões gaúchas, conforme a oferta e a demanda.

Até as 13h desta quinta-feira, Pelotas – cuja prefeita Paula Mascarenhas não descarta uma nova tentativa de decretar “lockdown” – tinha 73 pacientes internados em leitos exclusivos para Covid-19 nas unidades de saúde do Município. Destes, dez são habitantes de outras cidades. Ao todo, 29 ocupavam leitos de UTI e 44 estão em Enfermaria.

“Dos 63 internados que são moradores de Pelotas, 36 positivaram para coronavírus, 22 estão sob suspeita e cinco negativaram para a doença, mas seguem ocupando leito Covid em função de protocolo clínico”, detalhou o informe epidemiológico. “Desses casos, 24 se encontram em UTI e 39 em Enfermaria.”

Já entre os dez hospitalizados que residem em outras cidades, sete testaram positivo para o vírus e três são acompanhados como casos suspeitos. “Cinco moradores de outras localidades estão em UTI e cinco em Enfermaria”, finalizou o relatório.

Ampliação

Em pronunciamento nas redes sociais no começo da noite, Paula Mascarenhas anunciou a ampliação da rede hospitalar dedicada aos pacientes atingidos pela pandemia. Ela também convidou a população pelotense a realizar um “lockdown voluntário” neste fim de semana.

Segundo a prefeita, serão dez novas UTIs no hospital Beneficência Portuguesa, aumentando de 114 para 124 a quantidade de leitos específicos para pacientes de Covid-19.

“Vamos repassar R$ 200 mil por mês, para que o hospital faça a contratação de profissionais para que esses leitos, locados por nós, passem a receber os pacientes”, prosseguiu. “Neste sábado, as equipes já estarão prontas. Está sendo finalizado o treinamento para que possam iniciar seu trabalho.”

Paula acrescentou que, para o funcionamento dessa UTI, foram contratados 46 novos profissionais. A carência de médicos, enfermeiros, técnicos em Enfermagem é fator que vêm impedindo o aumento de leitos na rede Covid de Pelotas:

“As pessoas não imaginam como é complexo montar uma Unidade de Tratamento Intensivo como essa, que irá funcionar 24 horas, devido à quantidade de pessoas necessárias para compor as equipes que trabalham nas UTIs”.

Outros dois encaminhamentos para aumentar as vagas hospitalares foram destacados durante o pronunciamento: o programa do governo federal, ao qual o Município solicitou 30 médicos, e a negociação com uma organização social para a gestão do Centro Covid e, assim, a contratação de profissionais da saúde.

“Lockdown voluntário”

Ao ressaltar a ocupação máxima dos leitos de UTI, registrada nesta quinta-feira, a prefeita alertou que os novos leitos não representam a possibilidade de relaxar as regras de prevenção ao contágio e à expansão da pandemia. Paula agradeceu pela conquista do índice de isolamento social de 78,4% no fim de semana passado e fez um pedido: “um lockdown voluntário” nos próximos dias.

“Ouvimos várias críticas, inclusive de pessoas que nunca estiveram em Pelotas, mas não tenho dúvida que agimos certo ao escolher os direitos à vida e saúde, que também estão na Constituição”, comentou. “A população colaborou muito, ficando em casa, não por medo das forças policiais, mas por entenderem seu papel no processo.

Segundo a prefeita, o comércio manterá suas atividades, conforme as regras do Sistema de Distanciamento Controlado, no qual a cidade está sob bandeira vermelha (alto risco). Já os espaços públicos, como a praia do Laranjal, estarão fechados como forma de evitar aglomerações.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

O governador gaúcho garantiu que não haverá um retorno precipitado das aulas presenciais
A Polícia Civil aperta o cerco ao tráfico de drogas na cidade de Gramado
Deixe seu comentário
Pode te interessar