Sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
27°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Variedades Abdulrazak Gurnah, da Tanzânia, vence o Prêmio Nobel de Literatura 2021

Compartilhe esta notícia:

Abdulrazak Gurnah dando aulas na Universidade de Kent. (Foto: Universidade de Kent)

Abdulrazak Gurnah, romancista tanzaniano, ganhou o Prêmio Nobel de Literatura 2021. O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira (7) pela Academia Sueca.

Segundo a Academia, o prêmio foi concedido “por sua penetração intransigente e compassiva dos efeitos do colonialismo e do destino do refugiado no abismo entre culturas e continentes.”

“Seus romances fogem de descrições estereotipadas e abrem nossos olhares para uma África Oriental culturalmente diversificada, desconhecida para muitos em outras partes do mundo”, afirmou a Academia.

Gurnah nasceu em 1948 e cresceu na ilha de Zanzibar, chegando na Inglaterra na década de 1960 como refugiado. O romancista começou a escrever aos 21 anos de idade e publicou dez livros e diversos contos ao longo da carreira. A temática de refugiados é a base de todo seu trabalho.

O romancista é conhecido sobretudo pelo livro “Paradise”, de 1984, ambientado no leste da África durante a Primeira Guerra Mundial. A obra foi finalista na época do Booker Prize de ficção.

Seu livro de estreia (“Memory of Departure”) foi lançado em 1987 e conta a história de um jovem talentoso que tenta uma nova vida sob a proteção do tio em Nairobi, mas em vez disso, é humilhado e precisa retornar para sua família problemática, incluindo um pai alcoólatra e uma irmã que é forçada a se prostituir.

“Pilgrims Way” (1988) e “Dottie” (1990) foram os livros seguintes do romancista. Sua obra mais recente, “Afterlives”, foi lançada em 2020, e conta a história de Hamza, um jovem que é forçado a ir para a guerra ao lado dos alemães e se torna dependente de um oficial que o explora sexualmente.

Gurnah atuava como Professor de Inglês e Literaturas Pós-coloniais na Universidade de Kent, em Canterbury, aposentando-se recentemente.

Nobel da Literatura em números

Desde 1901, foram 118 laureados em 114 premiações. Isso porque em quatro delas, dois nomes foram anunciados como vencedores no mesmo ano. Não houve premiação nos anos de 1914, 1918, 1935, 1940, 1941, 1942 e 1943. Até hoje, ninguém foi premiado mais de uma vez.

Rudyard Kipling foi o mais jovem vencedor do prêmio. Em 1907, quando foi nomeado, tinha 41 anos de idade. Já a mais velha foi Doris Lessing, que estava com 88 anos quando foi premiada em 2007.

As mulheres do Nobel de Literatura

O Prêmio Nobel de Literatura foi concedido a apenas 16 mulheres entre uma centena de homens desde sua criação, em 1901:  Selma Lagerlöf  – 1909; Grazia Deledda – 1926; Sigrid Undset – 1928; Pearl Buck – 1938; Gabriela Mistral – 1945; Nelly Sachs – 1966;  Nadine Gordimer – 1991;  Toni Morrison – 1993;  Wislawa Szymborska – 1996; Elfriede Jelinek – 2004;  Doris Lessing – 2007;  Herta Müller – 2009;  Alice Munro – 2013;  Svetlana Alexievich – 2015; Olga Tokarczuk – 2018; Louise Glück – 2020.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Variedades

Ex-miss Reino Unido recebe fortuna equivalente à da rainha Elizabeth em divórcio de magnata
Saiba como criar barreiras para que crianças não assistam a conteúdos impróprios
Deixe seu comentário
Pode te interessar