Segunda-feira, 29 de novembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Música Álbum “perdido” de David Bowie gravado em 2001 será lançado nesta sexta

Compartilhe esta notícia:

Após disputa com gravadora, disco acabou na gaveta. Agora, herdeiros apresentam projeto em dois formatos. (Foto: Reprodução)

Como vários artistas de sua geração, o britânico David Bowie, morto em 2016, também teve brigas com as gravadoras. “Toy”, um álbum de 2001 sepultado após uma disputa com a Virgin, será conhecido pelo público em seu formato original na sexta-feira (26).

Uma versão pirata de “Toy”, de péssima qualidade, circula na internet desde 2011. E partes foram utilizadas por Bowie em “Heathen” (2002), ou em lados B de singles, assim como em compilações.

“Os fãs já conhecem dois terços do álbum”, declarou à AFP Jérôme Soligny, especialista francês na obra do cantor e compositor, autor de “David Bowie Rainbowman”.

“Toy” surge como projeto a partir das versões de “Can’t help thinking about me” (canção de 1966) que Bowie interpretou com seu grupo no fim dos anos 1990.

Com este grupo, formado por Mark Plati, Sterling Campbell e Earl Slick, Bowie alcançou um dos grandes momentos de sua carreira, com um show no festival de Glastonbury (Inglaterra) em 2000 que ficou gravado na memória.

O álbum também representa um momento importante na carreira de Bowie, pois durante a gravação em Nova York o cantor se reconciliou com o produtor Tony Visconti.

Ele havia parado de trabalhar com Visconti antes de “Let’s Dance”, seu grande sucesso de 1983, produzido por Nile Rodgers.

“Bowie tinha vontade de voltar a trabalhar com ele (Visconti), mas a princípio em doses homeopáticas, porque tanto ele como Tony são personalidades fortes”, explica Soligny.

Um dia após o show triunfal em Glastonbury, Bowie entrou no estúdio com o grupo. Juntos retomaram canções gravadas entre 1964 e 1971.

Bowie desejava lançar o álbum imediatamente.

“Toy é uma cápsula do tempo capturada em uma atmosfera de alegria, de foto e energia, com o som de músicos felizes por tocar juntos”, explica Mark Plati, que trabalhou na gravação.

Mas a relação com a Virgin virou um grande problema. “A Virgin se tornou uma merda total. Estas pessoas foram horríveis nos dois anos anteriores a minha saída”, declarou Bowie em 2002.

O artista se cansou e deixou “Toy” na gaveta para lançar “Heathen” (Iso/Columbia/Sony).

Os herdeiros de Bowie apresentam agora “Toy” (Parlophone/Iso/Warner) em dois formatos.

O primeiro, a versão original, na sexta-feira, dentro de “David Bowie 5. Brilliant Adventure (1992-2001)”.

Este é o quinto volume de uma série de gravações do cantor britânico. O tesouro contém outras gravações, como uma apresentação ao vivo na rádio BBC em 2000.

Em 7 de janeiro de 2022, na véspera do aniversário de Bowie, será lançado “Toy (Toy:Box)”, outra versão do álbum perdido, desta vez com takes alternativos e acústicos.

tags: Você Viu?

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Música

Brasil tem 17 restaurantes na lista de melhores da América Latina
Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
Deixe seu comentário
Pode te interessar