Sábado, 04 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Fair

Esporte Após reviravolta, jornais dos Estados Unidos miram nadador Ryan Lochte e interesse do Brasil

Na confusão ocorrida no posto, o 12 vezes medalhista olímpico Ryan Lochte seria o mais exaltado, segundo o depoimento de um dos nadadores. (foto: reprodução)

A reviravolta no caso do nadador Ryan Lochte, que agora é um dos indiciados por falsa comunicação de crime, levou jornais dos Estados Unidos a publicarem artigos e notícias questionando as consequências legais da mentira apontada pela polícia, os impactos no futuro do nadador e o interesse do Brasil em esclarecer os fatos.

Complexo de vira-latas
O site da revista americana New Yorker publicou, nesta quinta (18), um artigo onde, na opinião do autor do artigo, Alex Cuadros, o episódio teve grande repercussão no Brasil pelo “complexo de vira-lata”. Segundo ele, a versão inicial de história dos nadadores feriria o orgulho da nação e “confirmaria a incapacidade do Rio de Janeiro em manter seus visitantes seguros, mesmo com 85 mil soldados e policiais espalhados pela cidade”.


Não será preso
A CNBC afirma que provavelmente o nadador Ryan Lochte não será preso, mesmo se comprovado que ele mentiu no depoimento à polícia. “O Brasil não gostaria de produzir um incidente internacional disso. Só prolongaria a história”, afirma o texto. Para o veículo, continuar repercutindo o caso faria com que o país mencionasse os problemas de corrupção pública e violência, que fizeram com que “a história criada por Lochte parecesse inicialmente tão plausível”.

Falsa como o cabelo
A Newsweek afirma que a história criada por Ryan Lochte é mais falsa que a cor do cabelo do nadador e ironiza as versões contadas pelos atletas sobre o suposto roubo no Rio de Janeiro. Afirma que, na semana passada, Lochte havia prometido que, junto com o nadador recordista Michael Phelps, representaria os Estados Unidos na Olimpíada de Tóquio, daqui a quatro anos. Mas, “depois desse drama”, seus fãs estariam indiferentes a isso.

Vergonha para os EUA
O site Black Sports Online diz que o nadador envergonhou os Estados Unidos após contar versões contraditórias do suposto roubo. Afirma que o atleta, quatro vezes campeão olímpico, teria tudo para ter um futuro de sucesso no esporte. Mas, agora, “ninguém sabe qual será seu legado”.

Aprendizado para o garoto
O site americano The Score entrevistou o campeão olímpico Charles Barkley sobe o caso dos nadadores no Brasil. O atleta opinou que será um “bom aprendizado para Lochte”. “Ser famoso é bom em duas de cada três vezes, mas se você faz algo errado ou perde, é horrível”, disse. E ressaltou a imaturidade do nadador. “É uma coisa obviamente estúpida o que ele fez, mas ele é um jovem garoto – e todos os jovens garotos fazem coisas estúpidas”, completou.

Arma apontada
Já o site da Fox News parece atribuir maior ênfase ao fato de seguranças terem apontado armas para os nadadores no posto de gasolina – e não para a informação de que os atletas provavelmente tenham contato uma história falsa a respeito do suposto assalto. O título da matéria é “Seguranças apontaram arma para Lochte, mas não houve roubo, diz polícia”. E, no primeiro parágrafo, o dado que aparece primeiro na notícia é, mais uma vez, o de que “pelo menos um segurança apontou uma arma para a estrela olímpica Ryan Lochte e outros três nadadores (…)”.

Imagem prejudicada
O site USA Today diz que a imagem do nadador está manchada após o caso, que é uma “propaganda negativa” para ele. A reportagem entrevista Joe Favorito, especialista em marketing esportivo. “Não existe regra mais preciosa para qualquer pessoa pública do que: não minta”, diz. Ainda afirma que as marcas escolhem atletas honestos e autênticos para representá-las, e há várias opções. Ou seja: Lochte pode ser prejudicado em contratos publicitários, caso a história não seja esclarecida. (AG)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

Acusado de ser o mentor da farsa, nadador Ryan Lochte tem rotina de festas e bebedeiras
Bolt leva o ouro nos 200 metros dos Jogos Olímpicos
Deixe seu comentário
Pode te interessar