Sexta-feira, 03 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Partly Cloudy

Capa – Caderno 1 As negociações entre o Japão e os Estados Unidos avançam, disse o primeiro-ministro japonês

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe. (Foto: Divulgação)

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, afirmou que as negociações com os Estados Unidos avançam. De acordo com Abe, as futuras negociações comerciais serão baseadas nos acordos já alcançados entre os dois países.

No mês passado, o Escritório do Representante de Comércio dos Estados Unidos divulgou uma lista de seus objetivos para as negociações bilaterais. O primeiro-ministro afirmou que os Estados Unidos buscarão evitar que o Japão desvalorize sua moeda.

Embates

Os governos do Japão e da Coreia do Sul devem entrar em uma etapa tensa de disputas. O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse ter instruído as autoridades do país a analisar recursos para buscar impedir a ação trabalhista movida pelos sul-coreanos relativa ao período em que os dois países estavam em guerra.

Em outubro, a Justiça da Coreia do Sul determinou que a empresa japonesa Nippon Steel & Sumitomo Metal Corp deve indenizar quatro sul-coreanos que foram submetidos a trabalhos forçados entre 1941 e 1943, durante a Segunda Guerra Mundial. A ação começou em 2005.

A Justiça da Coreia do Sul alega que os quatro homens foram forçados a trabalhar em usinas siderúrgicas durante a Segunda Guerra Mundial. Abe disse que o pedido é extremamente lamentável. Segundo ele, a decisão da Justiça da Coreia do Sul é inválida pela lei internacional.

Brasil

De janeiro a setembro de 2018, as 700 empresas japonesas com escritório ou fábricas no território brasileiro aplicaram cerca de US$ 800 milhões em investimentos no Brasil. Mas as relações entre Brasil e Japão não se resumem a negócios.

Este ano, os dois países celebraram os 110 anos da imigração japonesa no Brasil, com centenas de eventos culturais, artísticos, esportivos e culinários que simbolizam a contribuição dos japoneses para a sociedade brasileira.

Do desenvolvimento do jiu-jitsu à expansão agrícola do cerrado brasileiro, da introdução da berinjela na culinária nacional ao judô, é difícil enumerar todas as contribuições que os imigrantes japoneses deram ao Brasil. Atualmente, os 2 milhões de descendentes japoneses que vivem hoje no Brasil constituem a maior comunidade de pessoas de origem japonesa fora do Japão.

O embaixador do Japão, Akira Yamada, ressaltou que os brasileiros também contribuíram para enriquecer a cultura e os costumes japoneses. Como exemplos, ele citou o jogador brasileiro Zico que foi importante para o desenvolvimento do futebol no Japão e a bossa nova, gênero musical brasileiro dos anos 60 que até hoje é muito apreciada pelos japoneses.

O embaixador observou ainda que os 200 mil trabalhadores brasileiros que vivem hoje no Japão são responsáveis pela disseminação do gosto pelo churrasco e pelo samba. Para Yamada, os investimentos e a transferência de tecnologia do Japão podem aumentar em direção ao Brasil, mas observou que é importante que o “ambiente de negócios no Brasil” melhore.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Caderno 1

“Endureceremos cada vez mais contra o crime”, disse o governador do Ceará
O papa pediu que as pessoas imitem a generosidade dos Reis Magos e tomem o caminho do amor humilde
Deixe seu comentário
Pode te interessar