Quinta-feira, 22 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Mostly Cloudy

Mundo Bolívia realiza primeira eleição presidencial sem Evo Morales em mais de 20 anos

Compartilhe esta notícia:

A eleição pode ser decidida já no primeiro turno se um dos candidatos tiver pelo menos 40% dos votos válidos e mais de dez pontos percentuais a mais que o segundo colocado

Foto: Reprodução
A eleição pode ser decidida já no primeiro turno se um dos candidatos tiver pelo menos 40% dos votos válidos e mais de dez pontos percentuais a mais que o segundo colocado. (Foto: Reprodução)

O primeiro turno da eleição nacional na Bolívia acontece neste domingo (18). Os eleitores escolhem quem vai substituir Jeanine Añez, a presidente interina que assumiu em novembro de 2019, após a anulação da votação daquele ano e os distúrbios que levaram Evo Morales a renunciar.

Os principais candidatos são Carlos Mesa, que ficou em segundo na última eleição, e Luis Arce, um aliado de Evo Morales. Essas são as primeiras eleições no país sem a participação de Evo desde 1997.

Ele perdeu a corrida eleitoral em 2002, mas concorreu de novo em 2005, quando venceu pela primeira vez. Eleito outras duas vezes, ficou no poder até novembro de 2019.

A eleição pode ser decidida já no primeiro turno se um dos candidatos tiver pelo menos 40% dos votos válidos e mais de dez pontos percentuais a mais que o segundo colocado. Se ninguém conseguir esse resultado, haverá um segundo turno no dia 29 de novembro.

Os candidatos

Luis Arce é o candidato do MAS, o partido de Evo Morales. Arce foi ministro da economia de Evo –nesse cargo, ele foi responsável por estatização de empresas. Durante a campanha, ele buscou se distanciar dos aspectos mais polêmicos dos anos de Evo –ele afirmou, por exemplo, que não vai interferir em investigações contra ex-ministros do MAS.

Carlos Mesa já foi presidente da Bolívia entre 2003 e 2005. Ele concorreu contra Evo nas eleições de 2019 e ficou em segundo. É considerado um centrista.

Luis Fernando Camacho é um líder de extrema-direita que liderou protestos contra Evo. Ele é de Santa Cruz, o estado mais populoso. Há outros candidatos, mas eles pontuam pouco nas pesquisas de intenção de voto.

Arce tem 33,6% da preferência dos eleitores, seguido de Mesa, com 26,8%, de acordo com uma pesquisa da organização Tu Voto Cuenta, feita entre 2 e 5 de outubro. Camacho, em terceiro, tem 13,9% das intenções de voto.

As desistências

Dois candidatos de direita abandonaram a corrida eleitoral: a presidente interina, Jeanine Añez, e Jorge Quiroga, que também já foi o líder do país. Os dois deixaram as eleições para evitar uma vitória em primeiro turno de Arce, o candidato de Evo. No entanto, nenhum dos dois declarou apoio a Mesa, o segundo colocado.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Governo do Rio Grande do Sul não recebe pedidos de reconsideração ao mapa preliminar do distanciamento controlado
O número de adoções no Brasil cai quase 40% por causa da pandemia
Deixe seu comentário
Pode te interessar