Quarta-feira, 08 de dezembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Agro IBGE prevê safra recorde de grãos do Brasil em 2022

Compartilhe esta notícia:

A expectativa do IBGE é de que a produção seja puxada pelo milho

Foto: Wenderson Araujo/CNA
Falta de chuva prejudicou lavouras de café, cana-de-açúcar, milho e laranja. (Foto: Wenderson Araujo/CNA)

A primeira estimativa para a safra agrícola de 2022 no País, divulgada nesta quinta-feira (11) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), prevê a produção de 270,7 milhões de toneladas de grãos, cereais e leguminosas.

De acordo com o instituto, se a previsão do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola for confirmada, será um recorde da série histórica, iniciada em 1975, com um aumento de 7,8% em relação às estimativas deste ano, o que representa 19,5 milhões de toneladas a mais.

A expectativa do IBGE é de que a produção seja puxada pelo milho, após uma queda grande na safra do grão neste ano por causa do atraso do plantio da segunda safra e da falta de chuvas nos principais Estados produtores. Para 2022, a previsão é de alta de 11,1% para a primeira safra, com 2,8 milhões de toneladas, e de 26,8% para a segunda safra, com 16,2 milhões de toneladas.

Segundo o gerente da pesquisa, Carlos Barradas, além da previsão de normalidade climática para o próximo ano, a alta do dólar incentiva os produtores de commodities. “Outra razão para a perspectiva de recorde diz respeito à questão econômica. Apesar do aumento dos custos de produção, os preços das commodities agrícolas como milho, trigo e soja estão altos, ajudados pela valorização do dólar, fazendo o produtor aumentar o plantio e investir mais nessas lavouras”, explica.

O instituto prevê crescimento de 0,8% na produção de soja, de 2,4% no algodão herbáceo em caroço, de 12,8% no sorgo, de 6,9% no feijão primeira safra e de 9,8% no feijão segunda safra.

Por outro lado, a pesquisa estima quedas nas produções de arroz (-3,9%), do feijão terceira safra (-0,9%) e do trigo (-10%).

Safra de 2021

A pesquisa do IBGE aponta que a estimativa de outubro para a safra de 2021 é de 251,2 milhões de toneladas, o que representa 1,2% ou 3 milhões de toneladas a menos do que a obtida em 2020, quando a produção de grãos, cereais e leguminosas no País chegou a 254,1 milhões.

A área a ser colhida deve aumentar 4,6% este ano, alcançando 68,5 milhões de hectares. Somados, o arroz, o milho e a soja representam 92,5% da estimativa da produção do País e respondem por 87,6% da área a ser colhida.

Na produção deste ano, o IBGE aponta aumento de 10,3% para a soja e de 4,5% para o arroz em casca. Por outro lado, a previsão é de queda de 17,5% no algodão herbáceo e de 16% no milho.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Agro

Bolsonaro diz que prorrogará por dois anos a desoneração da folha de pagamento de 17 setores
Rio Grande do Sul registra 1.217 novos casos de Covid-19 e mais 30 mortes provocadas pela doença
Deixe seu comentário
Pode te interessar