Segunda-feira, 30 de Março de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Fair

Saúde Cinco dicas para empresas evitarem o contágio por coronavírus durante campanhas de vacinação

(Foto: Reprodução)

O Serviço Social da Indústria (SESI) lançou nesta quarta-feira (25) algumas recomendações para reduzir a possibilidade de propagação do novo coronavírus durante as campanhas de vacinação realizadas pelas empresas. O guia Recomendações SESI para gesto vacinal (H1N1) tem como objetivo ajudar as empresas a planejarem campanhas de vacinação contra a gripe e evitar ao máximo o contágio de profissionais de saúde e trabalhadores com a covid-19.

Além disso, o SESI recomenda que os trabalhadores busquem se vacinar contra o H1N1. Embora não proteja contra o novo coronavírus, ajuda a diminuir possíveis complicações decorrentes de infecções de vias aéreas e a diferenciar a gripe do novo coronavírus.

Confira as principais dicas:

– Evitar aglomerações ou filas
Evitar o contato próximo entre as pessoas está entre as prioridades do momento. Entre as medidas que podem ser adotadas para evitar aglomerações durante a vacinação está a organização do atendimento por grupos, priorizando o de risco; ter vários postos de aplicação da vacina; fazer agendamentos; e oferecer a possibilidade de vacinação drive-thru, em especial para pessoas de grupo de risco ou com dificuldades de locomoção.

– Escolher ambientes externos e arejados
A escolha dos locais de vacinação pode contribuir para reduzir o contágio. Se for possível, organize os locais de vacinação em ambientes externos e arejados, mas esteja atento à legislação de seu município ou estado sobre exigências sanitárias. Se não for possível vacinar externamente, organize o atendimento para que entre um trabalhador de cada vez em ambiente ou sala de atendimento.

– Orientar trabalhadores sobre cuidados básicos durante a vacinação
Além de campanhas educativas sobre cuidados para se combater o contágio pelo coronavírus, os trabalhadores precisam ser orientados a manter distância de um a dois metros das outras pessoas que receberão a vacina. É preciso ainda estimular que os trabalhadores carreguem recipientes individuais para consumo de água para evitar o contato direto da boca com torneiras e bebedouros. O uso de máscaras por pessoas sem sintomas ou diagnóstico da doença não é recomendável porque não é a melhor maneira de proteção, além de promover o desabastecimento do material para quem necessita.

– Cuidar e treinar os profissionais envolvidos na campanha de vacinação
Os técnicos de enfermagem devem usar todos os equipamentos de proteção individuais recomendados: máscara cirúrgica, gorro, luvas descartáveis e óculos ou protetor facial. Deve-se garantir número suficiente de máscaras para os profissionais envolvidos nos procedimentos trocarem a cada duas horas ou sempre que for necessário. Além disso, é importante minimizar o máximo possível o contato com superfícies e contar, por exemplo, com lixeiras que tenham pedal ou abertura automática. Os profissionais de limpeza devem ser treinados sobre a forma correta de desinfecção e o uso correto de equipamentos de proteção individual.

– Garantir o cumprimento das recomendações por empresas terceirizadas
Para que a campanha de vacinação seja bem-sucedida ao reduzir riscos de contaminação por Covid-19, é fundamental que as recomendações e estratégias adotadas sejam devidamente compartilhadas com empresas terceirizadas contratadas para que realizem tanto o procedimento de vacinação quanto qualquer outra atividade durante a campanha, como a limpeza.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Disque Covid UFSM realiza atendimentos para esclarecer dúvidas sobre a pandemia
Campanha traz duas lives diárias de meditação coletiva no Instagram para trazer calma e equilíbrio durante a quarentena
Deixe seu comentário
Pode te interessar