Sábado, 27 de novembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Light Rain

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Porto Alegre Com redução na demanda por leitos para pacientes de coronavírus, o Hospital de Clínicas de Porto Alegre tenta normalizar o atendimento normal em outras áreas

Compartilhe esta notícia:

Medida foi acertada com a Secretaria Municipal de Saúde. (Foto: Divulgação/HCPA)

Verificada nas últimas semanas, a redução na demanda de leitos para pacientes graves de coronavírus no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Isso acabou viabilizando a reorientação de recursos físicos e humanos para que a instituição retome de forma gradual, a normalidade de seus atendimentos em outras áreas médicas.

A estabilização permitiu, nesta terça-feira (29), que a utilização de sete vagas de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) até então dedicadas a casos mais severos de Covid fossem desativadas. Essa estratégia, que poderá ser revertida se for preciso, foi acertada com a SMS (Secretaria Municipal de Saúde) e repercute também na economia de recursos públicos.

De acordo com a prefeitura, a manutenção de leitos de alta complexidade para infectados com coronavírus acarreta despesas significativas. Agora, os profissionais que atuavam nestes leitos de UTI serão realocados para outras áreas em que são necessários, assegura a administração municipal.

Localizado na “divisa” entre os bairros Santana, Bom Fim e Rio Branco, uma das principais instituições de saúde da capital gaúcha também organiza uma escala de férias, pois as equipes de terapia intensiva têm trabalhado ininterruptamente desde o início da pandemia. “Dessa forma, também estarão prontos caso ocorra uma segunda onda do coronavírus”, prevê a instituição.

O Hospital de Clínicas continua analisando permanentemente o cenário para determinar suas medidas, com cautela e responsabilidade.

“A ação é parte do planejamento da retomada das atividades assistenciais, que depende principalmente da disponibilidade de recursos humanos. Estão mantidos todos os cuidados, como evitar aglomerações, utilização de EPIs [equipamentos de proteção individual] e higiene correta e frequente das mãos”, acrescenta a prefeitura.

Situação epidemiológica

Atualizado no começo da noite desta terça-feira, o mais recente boletim da Secretaria Municipal de Saúde contabiliza um total de 33.297 casos confirmados de coronavírus em Porto Alegre desde o começo da pandemia, em março. A cidade é líder do ranking estadual da pandemia, tanto em contingente de infectados quando em número de falecimentos.

O levantamento inclui 27.970 pessoas se recuperaram da doença. Também foram registrados 97.266 casos negativos e outros 7.728 estão em análise. Já as mortes totalizam 1.024.

Os serviços de UTI estão agora com 278 casos confirmados de Covid-19, dois deles em âmbito pediátrico. Há também 35 casos suspeitos de adultos e dois infantis. O relatório detalhado pode ser conferido no site www.prefeitura.poa.br, bem como nas plataformas digitais da SMS. Confira, a seguir, a situação da pandemia na cidade:

– 33.297 casos confirmados;

– 7.728 casos suspeitos;

– 97.266 casos negativos;

– 27.970 pessoas recuperadas;

– 1.024 óbitos;

– 278 pacientes confirmados em Unidade de Terapia Intensiva;

– 30 pacientes suspeitos em UTI;

– 49 casos inconclusivos.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Porto Alegre

A Feira do Livro de Porto Alegre terá neste ano o seu primeiro patrono negro em 55 anos de evento
A Defesa Civil alerta para o risco de temporal e até queda de granizo em Porto Alegre nesta quarta
Deixe seu comentário
Pode te interessar