Quinta-feira, 01 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Notícias Desburocratização e modernização do Estado é meta do Cresce RS

Compartilhe esta notícia:

Luís Augusto Lara detalhou o programa do Cresce RS durante coletiva de imprensa na Federasul (Foto: Rosi Boninsegna)

Um Rio Grande aberto ao mercado, sem as amarras burocráticas e o atraso e interesses de corporações. Esta é a meta do programa Cresce RS detalhado nesta quarta-feira (4), no Tá na Mesa, da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande Sul, pelo presidente do Legislativo estadual, Luís Augusto Lara. O evento é promovido semanalmente pela Federasul, no Palácio do Comércio, e é considerado um dos principais pontos de encontro do mundo empresarial gaúcho. A cada ano, o Tá na Mesa reúne mais de 10 mil pessoas.

Lara mostrou o viés conciliador, cooperativo e que abrange áreas como Logística, Infraestrutura e Tecnologia/Energia, do programa formatado pelos Três Poderes do Estado, junto de entidades empresariais, tais como a Federasul e aliado a universidades e organizações da sociedade civil. O foco é facilitar e aproximar o diálogo entre Poderes e órgãos importantes para retirar o freio da burocracia e criar um ambiente amistoso para o empreendedorismo no Estado.

A meta do Cresce RS é destravar e possibilitar a retomada do crescimento econômico, por meio da viabilização e concessão de rodovias, ferrovias e PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas). Outra possibilidade apresentada por Lara está na simplificação de licenciamentos diversos (PPCI, Ambiental, Alvarás). “Vamos arregaçar as mangas e não mediremos esforços para tirar do papel essas obras que são o sonho de muitas pessoas e o progresso do Rio Grande do Sul”, enfatizou. Além do avanço na parte documental, o programa deve focar, também, na facilitação da concessão de crédito via Banrisul. De acordo com o presidente do Legislativo, “o Banrisul só pode continuar sendo público se ele fomentar a economia gaúcha com o foco de agência de fomento que aporte mais recursos em empreendimentos que irão alavancar a economia”.

Sobre a polêmica entre Executivo e demais poderes na Lei de Diretrizes Orçamentarias (LDO), que prevê congelamento de valores, Lara declarou que há cinco anos o orçamento já está congelado. “A Assembleia tem sido uma mediadora. Temos nos esforçado para que se chegue a um consenso. Fiz uma proposta de se repassar o duodécimo (fatia orçamentária devida a cada Poder) de forma proporcional à arrecadação, e não à proposta orçamentária, que muitas vezes é fictícia. Acho que há clima para isso, diferentemente do que ocorreu no governo anterior”, analisou. O presidente do Legislativo afirmou que a LDO deve respeitar o princípio da arrecadação. “Se o Estado arrecada mais, o repasse deve ser a mais, mas se o Estado for acometido por um déficit, isso deve ser sentido por outros integrantes dos Poderes”.

Homenagem

Proposto pelo deputado estadual Ernani Polo, a Federasul foi homenageada pela promoção da reunião-almoço Tá na Mesa, quem em 2019 chegou à sua milésima edição. A placa-homenagem foi entregue na abertura do encontro à presidente da Federasul, Simone Leite, e contou com a presença de parlamentares, tais como Aloísio Classmann, Rodrigo Lorenzoni, Edson Brum, Sebastião Melo e o presidente da ALRS, Luís Augusto Lara.

Simone Leite recebeu a placa alusiva às mil edições do Tá na Mesa, das mãos do presidente Lara, junto do proponente da homenagem, o deputado Ernani Polo (Foto: Rosi Boninsegna)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

Consulta pública sobre trecho da Orla do Guaíba encerra na próxima semana
Decreto permite uso de mais modelos de armas pela Guarda Municipal 


Deixe seu comentário
Pode te interessar