Sábado, 29 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Fair

Brasil Dilma se irrita ao ser impedida por funcionário de passar de um salão para outro no Palácio do Planalto

Dilma recebeu às delegações do Brasil nos Jogos Pan-Americanos e Parapan-Americanos. (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

Antes do início oficial da cerimônia de dez anos do programa Bolsa Atleta e recepção aos atletas dos jogos Parapan-Americanos de Toronto (Canadá) 2015, que foram os maiores medalhistas da competição, a presidenta Dilma foi impedida de passar por um funcionário do Cerimonial do Palácio do Planalto e se irritou.

O episódio ocorreu quando Dilma e os atletas se dirigiam do Salão Leste, onde a mandatária os recebeu e os cumprimentou, para o Salão Nobre, local da cerimônia. Próximo à rampa do grande salão, o caminho afunilou e o funcionário se postou na frente de Dilma, abrindo os braços para que ela parasse, dando a oportunidade de os atletas cadeirantes e demais esportistas seguissem o caminho. Contrariada, Dilma reclamou com ele.

Para a presidenta do Comitê Nacional do Cerimonial Público, Yvone de Almeida, houve uma precipitação dos funcionários responsáveis pelo protocolo no Planalto.

“Para você avaliar com segurança o que ocorreu, é preciso ver se houve um planejamento. Pelo que eu li e soube sobre o assunto, foi anunciado que a cerimônia iria ocorrer em outro lugar. Depois de feito o anúncio, a presidenta foi barrada por um funcionário. Se Dilma foi informada que era para se deslocar, ela atendeu a um chamado do cerimonial.”

Yvone disse que a presidenta foi chamada em um momento inadequado.

Segundo a presidenta da ONG Vidas, Patrícia Goloni Lolo, que ajuda pessoas com deficiência, os cadeirantes devem ser tratados como qualquer outra pessoa. “Tudo o que o cadeirante quer é ser tratado como uma pessoa normal. Qualquer pessoa que estivesse diante do presidente da República, o deixaria passar primeiro. Então, acho que o protocolo deveria seguir da mesma forma. Se o andante esperaria, por que o cadeirante não poderia esperar?”, questionou. (AG)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Dirceu vai ficar em silêncio na CPI, diz advogado
Aécio pediu para a Polícia Federal investigar o uso de e-mails com seu nome em tentativas de golpe na internet
Deixe seu comentário
Pode te interessar