Sábado, 31 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Mundo Donald Trump vai banir o aplicativo TikTok dos Estados Unidos a partir deste domingo

Compartilhe esta notícia:

Presidente norte-americano diz que a medida protegerá a segurança nacional de "ameaças do Partido Comunista". (Foto: Reprodução)

O governo dos Estados Unidos anunciou que o TikTok será banido do país a partir deste domingo (20). Em comunicado, o Departamento de Comércio norte-americano afirmou que o aplicativo chinês e o WeChat não poderão mais ser utilizados nos celulares da população. A ordem faz com que os serviços deixem as lojas de aplicativos no país, como o App Store e a Play Store.

A decisão acontece após o presidente Donald Trump afirmar que a medida tem como meta proteger a segurança nacional de supostas ameaças do Partido Comunista da China. O mandatário americano trava uma batalha com os TikTok há meses, questionando a prática de privacidade do aplicativo por suspeita de espionagem e tratamento indevido de dados de usuários americanos.

O presidente dos EUA, inclusive, emitiu uma ordem executiva em agosto, decretando a última terça-feira (15) como o prazo inicial para o serviço no país ser comprado por uma empresa americana.

Até o momento, algumas empresas estadunidenses se interessaram na aquisição do TikTok, como a Microsoft e a Oracle, mas as ofertas foram recusadas pela ByteDance, atual dona do TikTok. A detentora dos direitos do aplicativo, inclusive, insiste que o líder norte-americano não tem provas de uma suposta espionagem e, recentemente, chegou a enviar detalhes dos serviços prestados ao governo dos Estados Unidos.

Gerente-geral do TikTok nos Estados Unidos, Vanessa Pappas chegou a dizer que o app não abandonaria o país. “Não estamos planejando ir a lugar algum. O TikTok é um espaço para criadores e artistas expressarem suas ideias e se conectarem com pessoas de diferentes origens. Estamos orgulhosos de todos que chamam o TikTok de casa”, falou, ainda em agosto.

A ordem dos líderes dos Estados Unidos não chega a surpreender. O Secretário de Estado americano, Mike Pompeo, já havia sugerido que o governo vinha considerando a possibilidade de restringir o acesso ao TikTok por desconfiar que Pequim usá-lo como um meio de monitoramento e distribuição de propaganda.

“Seguindo o posicionamento do presidente, nós tomamos uma ação significativa para combater a coleta maliciosa de dados pessoais de cidadãos americanos pela China, enquanto promovemos nossos valores nacionais, normas democráticas e aplicação agressiva das regulações e leis americanas”, declarou Pompeo.

Tensão comercial

Ao mesmo tempo, a tensão entre Estados Unidos e China aumenta nas questões comerciais. Na semana passa, Pequim anunciou “restrições recíprocas” contra diplomatas americanos, depois que os Estados Unidos decretaram que os emissários chineses precisariam da aprovação do governo para se reunirem com autoridades locais ou organizarem certos eventos culturais.

Além disso, existe uma briga entre as duas nações no mercado de aplicativos, que, no geral, é dominado pelos estadunidenses – Facebook, Messenger, WhatsApp e Instagram são os mais populares.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Morre aos 87 anos a juíza da Suprema Corte americana Ruth Bader Ginsburg, ícone dos direitos das mulheres nos Estados Unidos
Especialista adverte: “Não nos livraremos das máscaras tão cedo”
Deixe seu comentário
Pode te interessar