Sábado, 31 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Esporte Em coletiva, Romildo anuncia mudanças no clube e Renato ressalta momento negativo

Compartilhe esta notícia:

Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Na tarde dessa sexta-feira (18), o presidente gremista Romildo Bolzan e o técnico Renato Portaluppi concederam uma entrevista coletiva e falaram sobre o momento tricolor, a sequência de jogos e as mudanças no plantel diretivo.

Romildo iniciou a coletiva anunciando que Klauss Câmara não é mais o executivo de futebol do clube: “Primeiro comunicar que Klauss Câmara não é mais nosso gerente de futebol. Agradecemos a ele todo o trabalho”. Ressaltou que o momento do clube vai mudar, que confia no Renato, sabe que a situação é momentânea e tem certeza no grupo para retomar as boas sequências: ”Esta situação é momentânea. Nós temos um elenco e um treinador capaz de dar a volta por cima. O pior diagnóstico disso é jogar a toalha. Temos a avaliação de que o cenário que temos é de plena recuperação. Acreditem nisso”.

Com as especulações de possíveis contratações ganhando força em volta do clube, principalmente do atacante Edinson Cavani, o presidente Bolzan deixou claro que não há negociações com o Uruguaio até o momento, mas se ele decidir que quer ficar na América do Sul, haverá conversas: “O plantel tem necessidade de algumas reposições. Não estamos parados quanto a isso. Quanto ao Cavani, se tiver abertura concreta de ele vir para a América do Sul, o Grêmio vai conversar. Mas não temos nada em andamento.”

Passado a palavra para o técnico Renato Portaluppi, o comandante da equipe pontuou que entende as críticas e sabe que o momento está complicado, mas acredita que não seja horrível: ”Como que você vai colocar em dúvida um trabalho de quatro anos, que conseguiu vários títulos? Vamos dizer que o trabalho não é bom, mas não vamos dizer que é péssimo”. Destacou também que não teme a demissão, conversa sempre com o presidente e diz saber que se não estiver rendendo no comando do time, ele mesmo pedirá para sair: ”Amanhã ou depois, se eu achar que estou atrapalhando, eu vou sair. No momento que eu achar que estiver incomodando, eu vou ser o primeiro a sair”.

Com boa parte do elenco titular se recuperando de lesão no departamento médico, a fala de Renato salientou que isso não é o problema: “Em 2017 o Grêmio foi campeão da Libertadores. Vai ver quantos jogadores o Grêmio tinha no departamento médico. No momento que as vitórias não vem, sempre vai ter um probleminha. É departamento médico, é jogador que não está correndo…”

Ao encerrar, falou sobre o estilo de jogo do time, e que é exatamente o estilo em que Renato gosta de jogar: “A minha equipe joga para a frente, joga para ganhar. Se for para mudar a forma de jogar para garantir meu emprego, vou ser covarde. O Grêmio é muito grande para jogar por uma bola e pelo contra-ataque.”

O próximo compromisso tricolor é pelo Campeonato Brasileiro, no próximo domingo (20), contra o Palmeiras, às 16h (de Brasília), na Arena.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

Renato resume a derrota do Grêmio para a Universidad Católica como a “pior atuação deste ano”
Inter realiza último treino antes de embarcar para Fortaleza
Deixe seu comentário
Pode te interessar